‘Caçambas’ no Metrô de São Paulo alertam para o descarte correto de entulho 

Até 30 de junho, as estações Tatuapé, Vila Prudente, São Mateus, Paraíso, República e Luz do Metrô terão expostas caçambas cenográficas para chamar a atenção de quem passa por estes locais. Foto: Divulgação.

Campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância do descarte correto dos resíduos da construção

JESSICA MARQUES

Neste mês de junho, em que é celebrado o Meio Ambiente, parte das estações do Metrô recebem a campanha “Você é responsável pelo resíduo que gera”.

O objetivo é conscientizar a população sobre a importância do descarte correto dos resíduos da construção e de outros produtos considerados lixo e entulho.

A iniciativa é da Abrecon (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição), em parceria com o Metrô.

Até 30 de junho, as estações Tatuapé, Vila Prudente, São Mateus, Paraíso, República e Luz do Metrô terão expostas caçambas cenográficas para chamar a atenção de quem passa por estes locais.

De acordo com a Pesquisa Setorial Abrecon 2020, o brasileiro gera aproximadamente 500 quilos de resíduos da construção e demolição por ano.

O Metrô alerta que os descartes clandestinos e ilegais de lixo e entulho desvalorizam bairros e cidades, além de onerar o poder público e o cidadão. Para cada metro cúbico descartado de forma irregular, a prefeitura gasta aproximadamente R$ 150,00 para remover e destinar o material, segundo dados da Abrecon.

“Os passageiros podem obter mais informações a respeito de como descartar corretamente o entulho de uma obra apontando o celular para o QR Code existente na lateral das caçambas. A Abrecon também disponibiliza um site (abrecon.org.br) para que as pessoas se informem sobre os locais para o recebimento de resíduos de forma gratuita, no caso de pequeno gerador, e outros resíduos. Para denunciar crimes relacionados ao descarte irregular de lixo e entulho é preciso ligar para o número 156 da prefeitura de São Paulo.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta