Primavera do Leste (MT) contrata por R$ 410 mil modelagem da concessão do transporte coletivo

Foto: prefeitura de Primavera do Leste (MT)

Sistema de transporte atende a uma população de 63 mil habitantes, e desde novembro passado é ofertado gratuitamente à população

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Primavera do Leste, interior do Mato Grosso, acaba de contratar um consórcio de empresas por R$ 410 mil (R$ 409.426,57) para a elaboração do plano de estruturação do processo de concessão dos serviços do sistema do transporte coletivo no município.

De acordo com publicação no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 10 de junho de 2022, o vencedor da tomada de preços foi o Consórcio Transporte Modelo, composto pelas empresas Pullin e Campano Consultores Associados, Amaral Paes de Andrade e Figueirêdo Advogados, Polo Planejamento e Íntegra Projetos e Consultoria Empresarial.

O contrato terá vigência pelo prazo de 270 dias.

Desde 22 de novembro de 2021 o transporte público em Primavera do Leste é gratuito para toda a população.

A gratuidade da tarifa dos ônibus vale por até um ano ou até o início de uma nova concessão, conforme Lei de autoria do Poder Executivo aprovada pela Câmara Municipal de Vereadores.

Esta lei foi feita em atendimento a um Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre a Prefeitura Municipal de Primavera do Leste, Aval Negócios e Intermediações – empresa vencedora da licitação, e Ministério Público do Estado de Mato Grosso.

No início da gratuidade dos serviços de transporte a prefeitura comunicou que seria a responsável por custear a tarifa com recursos próprios.

Nossa preocupação é poder oferecer um transporte para as pessoas que dependem das linhas dos ônibus para se deslocarem para o trabalho, com essas novas rotas vamos conseguir atender a população, e ainda sem custo com as pesagens pelo período de um ano. O que também vai gerar economia para os passageiros e empresas que eventualmente tinham despesa com o vale transporte“, disse o prefeito Leonardo Bortolin.

O novo processo de concessão, no entanto, prevê uma tarifa social, “aquela que seja compatível com o nível de renda da população usuária do transporte público por ônibus”, diz o edital da tomada de preços parta contratação do serviço de modelagem.

Caberá ao Consórcio Transporte Modelo fazer a avaliação financeira do novo sistema, o que “consiste em determinar os indicadores de rentabilidade do sistema de transporte a ser proposto, de modo a garantir a sua exploração sustentável e com possibilidade de contínuas melhorias no nível de mobilidade da população”.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta