Niterói (RJ) publica edital de licitação para segundo lote de obras do sistema cicloviário da Região Oceânica

Obras do primeiro lote foram iniciadas em 2021 e compreendem 21 quilômetros de infraestrutura cicloviária. Foto: Divulgação.

Nesta etapa, as intervenções serão realizadas em trechos dos bairros de Camboinhas, Itaipu, Itacoatiara, Serra Grande, Santo Antônio e Piratininga

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Niterói (RJ) publicou, nesta quarta-feira, 08 de junho de 2022, o edital de licitação do segundo lote de obras do Sistema Cicloviário da Região Oceânica.

Nesta etapa, as intervenções serão realizadas em trechos dos bairros de Camboinhas, Itaipu, Itacoatiara, Serra Grande, Santo Antônio e Piratininga.

De acordo com a Coordenadoria Niterói de Bicicleta, a licitação está prevista para o dia 12 de julho.

Assim, a ordem de início das obras deve ocorrer até setembro de 2022.

Segundo o edital, o valor máximo estimado para este projeto é de R$ 5.067.375,65.

OBRAS

Segundo a Prefeitura, o sistema cicloviário da Região Oceânica inclui ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas e paraciclos ao longo de toda a região, totalizando 60 quilômetros.

As obras do primeiro lote foram iniciadas em 2021 e compreendem 21 quilômetros de infraestrutura cicloviária, que incluem áreas como a Praia de Piratininga e as avenidas Almirante Tamandaré, em Piratininga, e Irene Lopes Sodré, no Engenho do Mato.

Conforme detalhado pela administração municipal, as intervenções em Piratininga já foram concluídas e o trabalho, agora, está concentrado no Engenho do Mato.

Em nota, o responsável pela coordenadoria Niterói de Bicicleta, Filipe Simões, explica as obras do segundo lote serão iniciadas por Itaipu, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, no trecho entre o Corpo de Bombeiros e a Praia de Itaipu, com uma ciclofaixa protegida por tachões do tipo olho de gato.

Também serão feitas obras de acessibilidade e requalificação dos pontos de ônibus nesta área.

“Uma vez iniciada a obra em cada trecho, a população será comunicada com o objetivo de minimizar possíveis transtornos com as intervenções. A implantação do sistema cicloviário tem como objetivo aumentar a segurança e a capacidade de acesso para quem usa a bicicleta. Vale lembrar que a Região Oceânica é uma área da cidade onde, tradicionalmente, já temos muitos usuários da bike. Essas melhorias contribuem para aumentar ainda mais o potencial do uso deste transporte”, disse.

O prazo previsto para a realização de todo o trabalho de implantação do segundo lote é de oito meses. O projeto integra as ações do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO Sustentável), com financiamento da CAF e será executado através da Coordenadoria Niterói de Bicicleta.

CICLOVIAS

De acordo com o prefeito de Niterói, Axel Grael,a cidade conta com mais de 57 quilômetros de malha cicloviária. Contudo, a previsão é de ultrapassar 100 quilômetros de ciclovias até 2024.

“Os investimentos realizados pela Prefeitura de Niterói nos últimos anos com a implantação de ciclovias como a da Avenida Marquês do Paraná, no Centro, e mais recentemente, com a abertura da ciclovia Avenida Professor João Brasil, na Zona Norte, mostram que também criamos oportunidades de investimento na cidade, de geração de emprego e de oportunidades para a população. Só na Região Norte da cidade, por exemplo, até 2024 serão mais 20,6 quilômetros de ciclovias, com investimentos de mais de R$ 8 milhões. Vamos continuar apostando nas políticas públicas de incentivo à mobilidade sustentável”, disse, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta