Produção de ônibus no Brasil sobe 18,8% entre janeiro e maio, diz Anfavea

Já licenciamentos tiveram queda de 3,3% no mesmo período

ADAMO BAZANI

A produção de ônibus no Brasil registra alta de 18,8% entre janeiro e maio deste ano na comparação com semelhante período de 2021.

Foram 10.340 unidades nos cinco primeiros meses de 2022 e 8.702 no intervalo do ano passado.

O dado faz parte da divulgação desta terça-feira, 07 de junho de 2022, da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Entre abril de 2022 e maio de 2022, a alta foi bem mais expressiva, de 85,4%, passando de 1.625 chassis para 3.013 unidades. Na comparação entre os meses de maio, em 2022, a alta foi de 82,2%, com 1.654 unidades em maio de 2021 ante 3.013 de maio de 2022.

SEGMENTOS:

Em termos percentuais, o segmento de ônibus rodoviários obteve em 2022 até agora os resultados mais expressivos, com alta de 53,5% no acumulado entre janeiro a maio deste ano com o período do ano passado. Foram 922 unidades ante 1.415 de 2022.

Em relação a volume, como é habitualmente, o segmento de urbanos concentra a maior parte das unidades.

De acordo com a Anfavea, foram produzidos 8.925 ônibus deste segmento, incluindo os escolares, entre janeiro e maio de 2022. Em semelhante período de 2021, foram 7.780 veículos de transporte coletivo de grande porte. A diferença significa alta de 14,7%.

LICENCIAMENTOS:

Quanto aos licenciamentos de ônibus, o período de janeiro a maio de 2022, a queda foi de 3,3% na comparação com janeiro a maio de 2022.

Foram 5.905 chassis de ônibus neste ano e 6.108 no ano passado neste período de cinco meses.

Já ente maio de 2021 e maio de 2022, a queda foi de 9,2% com 1.603 chassis (maio de 2021) e 1.456 ônibus (maio de 2022).

Porém, entre abril de 2022, com 1.127 unidades, e maio de 2022 com 1.456, a alta foi de 29,2%.

MARCAS:           

Entre as marcas de ônibus, a Mercedes-Benz lidera no acumulado do ano entre janeiro e maio de 2022, com 2.889 unidades licenciadas, número que representa alta 28,5%.

Em termos percentuais, quem mais registrou alta foi a Scania, com 153,8%, mas com volume de 66 ônibus.

A maior queda foi da Iveco, 88,5%, mas a Volkswagen Caminhões e Ônibus também registrou baixa de 24,9%

Veja os quadros:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta