Prefeitura de São Paulo segue Estado e recomenda uso de máscaras em ambientes fechados

Em transporte público, uso é obrigatório

No transporte coletivo, a obrigatoriedade da proteção continua, assim como em serviços de Saúde

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo voltou a recomendar o uso de máscaras contra a covid-19 em ambientes fechados de uso compartilhado e em escolas na capital paulista devido ao crescimento do número de casos e suspeitas de subnotificação.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 1º de junho de 2022, um dia depois de o Governo do Estado ter também feito a recomendação como mostrou o Diário do Transporte.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/31/comite-cientifico-de-sao-paulo-volta-a-recomendar-uso-de-mascara-em-locais-fechados/

Como ocorre com o Estado, trata-se de uma recomendação e não obrigatoriedade.

O uso de máscaras continua obrigatório em ambientes de serviços de Saúde, como hospitais, clínicas e consultórios, e no transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô, além de terminais e estações.

Segundo a gestão municipal, a decisão ocorreu após reunião realizada nesta quarta-feira (1º), entre técnicos da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para avaliação dos índices epidemiológicos das últimas semanas.

Os resultados positivos dos testes rápidos antígenos (TRAs) para covid-19 tiveram um crescimento considerável.

Segundo a gestão do prefeito Ricardo Nunes, na semana epidemiológica 17 (24 a 30 de abril), a taxa de positividade foi de 4%, enquanto em 30 de maio, a positividade foi de 18%.

De acordo com o secretário municipal da Saúde, Luiz Carlos Zamarco, em nota, a recomendação tem como objetivo proteger a população neste momento de alta do número de casos positivos para a covid-19. “Além do uso da máscara, é importante que a população complete o seu ciclo vacinal. Tanto para o primeiro ciclo, quanto para as doses de reforço. Nossos postos estão abertos diariamente e a vacina está disponível para todos”, ressalta.

A máscara deve ser usada corretamente, cobrindo corretamente nariz e boca, mesmo sendo apenas uma recomendação.

Pessoas com comorbidades também têm a recomendação de uso.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta