Obras do corredor de ônibus da Avenida Dom Pedro I, em Ribeirão Preto (SP), entram em nova fase

Previsão de conclusão das obras é para o final de 2022. Foto: Guilherme Sircili.

Rotatória Amin Calil recebeu base estrutural do corredor de ônibus, guias e sarjetas

JESSICA MARQUES

As obras do corredor de ônibus da Avenida Dom Pedro I, em Ribeirão Preto (SP), entraram em uma nova fase.

Segundo a Prefeitura, a principal frente de trabalho está na rotatória Amin Calil, com a implantação e remanejamento de bocas de lobo, execução de base estrutural do corredor de ônibus e guias e sarjetas.

Já a segunda frente está na Avenida Dom Pedro I, que está recebendo pavimento novo, calçadas e rampas de acesso para cadeirantes.

O projeto ainda contempla uma ciclovia nas avenidas Luiz Galvão Cezar, Octávio Golfeto e Francisco Maggioni.

A nova empresa responsável pela obra é a Autem Engenharia, que assinou a Ordem de Serviço em abril.

O novo valor que será investido é de R$ 30.057.360,64, incluindo o corredor de ônibus da Avenida Saudade.

De acordo com a Prefeitura, a previsão de conclusão das obras é para o final de 2022.

INTERDIÇÕES

Com as obras, a Transerp orienta os motoristas que vêm da Vila Tibério pela Rua Rodrigues Alves para acessar a Rotatória Amin Calil: desviar à esquerda na rua Joaquim Nabuco até a rua Conselheiro Saraiva, acessar a avenida Francisco Magioni, e assim, entrar na rotatória Amin Calil. Devido ao grande fluxo de veículos nesta região, principalmente nos horários de pico, a orientação para os condutores é redobrar a atenção e diminuir a velocidade a fim de evitar acidentes.

Já para quem está na avenida Dom Pedro I na pista sentido Bairro/Centro, o fechamento será a partir do cruzamento da rua Espírito Santo, desviando os condutores até a rua Maranhão, para retornarem na avenida Dom Pedro I pela rua Rio Grande do Sul.

OBRA

O corredor de ônibus da Avenida Dom Pedro I será implantado da Avenida Fábio Barreto até a praça Amin Calil, passando pelas Avenidas Marechal Costa e Silva, Capitão Salomão, Dom Pedro I e Luiz Galvão Cezar, chegando até a Rotatória Alceu Paiva Arantes.

A pavimentação das vias seguirá o padrão dos corredores: reforçar a capacidade de suporte do pavimento em função do tráfego intenso e do peso dos veículos; os corredores de ônibus passam por abertura da caixa asfáltica em 45 centímetros, melhoria e preparo do subleito, através de compactação mecânica, implantação da base com material granular (15 sentimentos de BGS – Brita Graduada Simples – e 20 centímetro de BGTC – Briga Graduada Tratada com adição de Cimento); aplicação de seis centímetros de concreto betuminoso usinado a quente, faixa B (Binder), para depois aplicar a capa de asfalto, que varia de quatro a cinco centímetros.Implantação das paradas de ônibus, onde o asfalto será concretado em 35 metros de extensão para evitar o desgaste por frenagem e aceleração. As demais faixas receberão fresagem e recapeamento ao longo de todas as vias que formam o corredor, além da reestruturação das guias e sarjetas.

O trecho também terá semaforização inteligente, além de sinalização com botoeiras para pedestres e onda verde. Nos quarteirões onde houver ponto de ônibus, haverá revitalização de todo o passeio para garantir acessibilidade aos pedestres, principalmente àqueles com mobilidade reduzida. Todas as esquinas da avenida contarão com rampas de acesso para cadeirantes, com piso tátil direcional e de alerta, indicando os pontos de espera e de travessia para deficientes visuais.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta