Projeto de modelagem do transporte coletivo de Joinville inicia coleta de dados em terminais

Consultores da FIPE visitaram o Terminal Central. Foto: prefeitura de Joinville

Estudo contratado junto à FIPE vai direcionar a licitação do serviço

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Joinville (SC) informa que nessa segunda-feira, 30 de maio de 2022, começou a coleta de dados sobre o transporte coletivo por meio de 2 mil pesquisas nos 10 terminais de ônibus da cidade.

Trata-se de mais uma etapa do estudo da modelagem do transporte coletivo, que segundo a prefeitura auxiliará na licitação do serviço de ônibus por parte da Prefeitura.

Conforme decisão judicial, o processo de licitação para concessão do transporte deve estar concluído até setembro de 2023.

A fase da coleta de dados vai até o dia 3 de junho, trabalho sendo conduzido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE).

A prefeitura contratou a Fundação por meio de dispensa de licitação por mais de R$ 3,7 milhões.

O projeto contempla diagnóstico, desenvolvimento do modelo conceitual, detalhamento do projeto básico, orientações técnicas para o edital de licitação e suporte.

Para o secretário de Infraestrutura Urbana de Joinville, Jorge Luiz Correia de Sá, a coleta destes dados é uma etapa muito importante para que a FIPE possa dar continuidade ao mapeamento do transporte coletivo de Joinville, “podendo formatar o modelo para atender as necessidades da população”.

De acordo com a prefeitura, os questionários vão ajudar a mapear finalidade do uso do transporte, os motivos que levam a população a utilizar o serviço e se é feito uso de outra modalidade de transporte, além de uma avaliação da satisfação de 16 aspectos, como tempo de espera, conservação dos veículos e valor da passagem.

NOVA LICITAÇÃO

A licitação do transporte de Joinville é uma polêmica antiga.

As atuais empresas Gidion e Transtusa operam na cidade desde dezembro de 1973, por meio de contratos estabelecidos sem processo licitatório.

O contrato de concessão com as duas empresas durou 15 anos, e se encerrou em 2012. Desde então o processo licitatório para a escolha da nova concessão do sistema em Joinville se arrasta na Justiça, motivado por ação das empresas que cobravam da Prefeitura a dívida relacionada ao reajuste da tarifa.

Nesse período, e até hoje, as concessionárias Gidion e Transtusa continuam operando com contratos temporários.

Uma decisão judicial determina que a prefeitura tem de finalizar o processo licitatório de concessão dos serviços de transporte até setembro de 2023.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta