VÍDEO: Londres inaugura nesta terça (24) nova linha de metrô, a Elizabeth Line

Estação Canary Wharf, primeiro dia de funcionamento da Elizabeth Line. Foto: Diário do Transporte

Lançada para coincidir com as comemorações dos 70 anos da rainha Elizabeth II no trono, nova ligação metroviária teve custo de mais de R$ 100 bilhões

ALEXANDRE PELEGI

A cidade de Londres, no Reino Unido, lançou nesta terça-feira, 24 de maio de 2022, uma grande extensão de seu sistema de transporte público.

Trata-se de uma nova linha de Metrô, a Elizabeth Line, nome dado em homenagem aos 70 anos da rainha Elizabeth II no trono.

A um custo total de £ 18,9 bilhões (mais de R$ 113 bilhões), a nova linha do metrô londrino, o mais antigo do mundo, é muito mais do que uma nova linha ferroviária.

Ela vai conectar os passageiros do leste e oeste de Londres diretamente com seus destinos no centro da cidade.

Das dez estações construídas, cinco estão no centro da capital. As demais 31 estações serão integradas de outras linhas.

A Elizabeth Line fará a conexão de duas das ferrovias mais antigas e movimentadas da Grã-Bretanha.

Para a empresa responsável pelo transporte de Londres, a Transport for London (TfL), a linha metroviária vai melhorar drasticamente a cobertura de transporte público da cidade, diminuindo os tempos de viagem.

Com a nova extensão do sistema de transporte, a nova linha criará novos hubs centrais para transferências para o metrô, além de modificar a forma como as pessoas se deslocam pela cidade.

A Transport for London estima que o número anual de passageiros chegará a 170 milhões até 2026.

Os turistas que visitam Londres terão seu tempo de chegada à cidade por metrô bastante reduzido com a nova ligação. Com a inauguração da Elizabeth Line, os passageiros que chegam pelo aeroporto de Heathrow precisarão de apenas 30 minutos e £ 5,50 para chegar ao centro de Londres.

Veja fotos do primeiro dia do funcionamento da nova linha.

Crédito: Diário do Transporte:

MAPA DA LINHA:


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta