Greve do Metrô em São Paulo é cancelada. Operações ocorrem nas linhas nesta quarta (25)

Categoria aceitou proposta do Metrô

ADAMO BAZANI

A greve de Metrô em São Paulo foi cancelada com as operações ocorrendo nesta quarta-feira, 25 de maio de 2022.

A decisão ocorreu após assembleia dos metroviários que ocorreu na noite desta terça-feira (24) e foi finalizada depois de 21h30.

A categoria pede reajustes nos salários e benefícios, além de cláusulas sociais.

Nesta terça-feira (24), ocorreu mais uma audiência no TRT (Tribunal Regional do Trabalho).

O Metrô propôs a concessão de mais 01 “step”, de forma que o “step” referente à 2020 (ciclo de mérito) será pago no dia 31/08/2022, já o “step” referente à 2021 (ciclo de mérito) será pago no dia 31/01/2023, ambos, observando os critérios estabelecidos no plano de remuneração e carreira vigente , não
havendo pagamento retroativo.

A companhia prosseguiu dizendo que em caso de greve o Metrô observará apenas e tão somente o disposto na sentença normativa, ou seja, a
aplicação do percentual de reajuste já divulgado de 12,26% em relação às cláusulas expressamente citadas na sentença normativa.

Diante da nova proposta, o Desembargador Vice-Presidente Judicial Mediador Valdir Florindo, em conjunto com o Ministério Público do
Trabalho, propôs e às partes uma “Cláusula de Paz”, comprometendo-se os Sindicatos profissionais a manterem-se apenas em “estado de
greve”, sem efetivamente deflagrar greve enquanto ocorrerem as negociações.

Como mostrou o Diário do Transporte, a primeira ameaça de greve ocorreu na última semana, com anúncio de paralisação em 18 de maio de 2022, mas foi descartada.

A primeira pauta de reivindicações propunha, entre outros pontos, 20% de aumento salarial, reajuste no auxílio-combustível para quem entra cedo ou larga tarde , concessão da cota do 13º (vale-peru), negociação e pagamento das Participações nos Resultados relativas ao período de 2020, 2021 e 2022; num total de 10 pedidos.

O Metrô de São Paulo apresentou as seguintes contrapropostas para os pedidos dos metroviários:

1 – Reajuste salarial de 20%;

Aplicação do reajuste de 12,26% referente ao IPC/FIPE do período compreendido entre 1 de maio de 2021 até 30 de abril de 2022.

2 – Reajuste diferenciado para o vale-alimentação e vale-refeição, observando a inflação sobre os alimentos;

Aplicação do reajuste de 12,26% referente ao IPC/FIPE do período compreendido entre 1 de maio de 2021 até 30 de abril de 2022.

3 – Isonomia salarial: concessão dos steps paralisados desde 2019;

a) O Metrô realizará o ciclo de mérito 2021 no mês de agosto de 2022 conforme critérios estabelecidos do plano de remuneração e carreira vigente – não haverá pagamento retroativo;

b) A partir de 1 de junho de 2022 não será mais praticada a política de escala de acesso. Os empregados que estão em escala de acesso serão enquadrados, na mesma data, no salário inicial do cargo.

4- Reajuste do auxílio combustível para cedão e tardão, compatível com o aumento dos combustíveis;

O pagamento do auxílio deslocamento (cedão e tardão) será mantido conforme critérios estabelecidos no instrumento normativo e o seu valor será reajustado de acordo com a tarifa do transporte público;

5 – Concessão da 13ª cota do vale-alimentação (vale peru);

A Companhia não concederá;

6 – Negociação e Pagamento das Participações nos Resultados relativas ao período de 2020, 2021 e 2022;

Em razão da drástica redução de arrecadação tarifária decorrente da pandemia, não foi estabelecido Programa de Participação nos Resultados, inviabilizando o pagamento.

7 – Contribuição patronal paritária para composição de fundo de manutenção do Plano de Saúde dos Aposentados – METRUS;

A Companhia manterá a prática atual.

8 – Bilhete de aposentado dos 60 aos 65 anos; A Companhia manterá a prática atual.

9 – Reintegração dos demitidos de 2019 e desligados por aposentadoria especial;

As matérias são objeto de processos trabalhistas e encontram-se sub judice, de forma que a Companhia cumprirá a decisão judicial.

 10 – Renovação integral da norma coletiva e desistência do Recurso da Sentença Normativa DCG 1002007-34.2021.5.02.0000.

A Companhia aguardará o julgamento do Tribunal Superior do Trabalho.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta