Prefeitura do Rio Grande (RS) não renova contrato do transporte coletivo com a Noiva do Mar

Transpessoal, que já opera na cidade, assumirá as linhas. Foto: Paulo Ricardo Rodrigues Villanova/Ônibus Brasil

Entre os principais motivos estão o não pagamento de salários e direitos trabalhistas, a precarização do serviço e a falta de manutenção dos ônibus

ALEXANDRE PELEGI

Cidade mais antiga do Rio Grande do Sul, e considerada a mais rica da região sul do estado, com mais de 210 mil habitantes, Rio Grande não terá mais os serviços da empresa Noiva do Mar no transporte urbano.

A empresa deixa de operar na cidade gaúcha a partir deste domingo, 15 de maio de 2022.

A Prefeitura não renovou o contrato emergencial devido aos problemas de gestão e funcionamento. Entre os principais motivos estão o não pagamento de salários e direitos trabalhistas, a precarização do serviço e a falta de manutenção dos ônibus.

A Transpessoal, que já opera na cidade em pouco menos da metade das linhas, assumirá a responsabilidade pelo sistema.

A informação foi formalmente comunicada à população na sexta-feira (13) em entrevista coletiva virtual com a presença do Prefeito Fábio Branco, do Secretário de Mobilidade, Acessibilidade e Segurança, Anderson Castro, e do Procurador Geral Ênio Fernandez Jr.

De acordo com o prefeito, a Transpessoal já havia sido sondada sobre a possibilidade de assumir integralmente as 23 linhas em operação. A empresa tem capacidade financeira e técnica para manter o sistema em funcionamento.

O prefeito alertou que durante a transição entre as companhias é possível que ocorram alguns transtornos no funcionamento. “A Secretaria de Mobilidade, Acessibilidade e Segurança trabalha para garantir que a transição entre a saída da empresa e a entrada em serviço da Transpessoal em todas as linhas aconteça o mais rápido e ágil possível”, declarou o prefeito.

A mudança se dará a partir da madrugada deste sábado (14) para domingo (15), data de encerramento do contrato emergencial firmado com a Noiva do Mar.

A prefeitura espera que a Transpessoal possa contratar parte dos mais de 220 funcionários atualmente vinculados à Noiva do Mar.

A Prefeitura já trabalha com uma nova licitação para o transporte coletivo.

O processo está em fase de contratação da Furg (Universidade Federal do Rio Grande). A Universidade auxiliará o município na elaboração do Plano de Mobilidade Urbana e também na questão do transporte coletivo.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Mais uma prova da consumação definitiva e terminal da falência ética e moral generalizada desse universo criminoso e ilegal/Por que a prefeitura não assume todo o setor de transportes e associados e não licita nunca mais?Simples assim.Aliás o atual (im)prefeito,sr.Fábio Branco(MDB) destruiu o DATC urbano com cortesia ilegais na linha rodoviária(RGxPOA)em outra gestão.Só com interveção do poder judiciário,mesmo,ou seja, a Justiça nomeando um interventor pra comandar a cidade.Ou unifica territorialmente todas as ditas cidades,localidades,regiões e sub-regióes gaúchas fora da Metade Norte(Centro-Sul,Península Rio Grandense-entre São José do Norte e Capivari do Sul-,Zona Sul,Região da Campanha Gaúcha,Fronteira Oeste e Metades Sul do Centro e do Noroeste do Estado) e RS fora da Metade Norte fica só Pelotas.Será que acaba a mehrdhy@?

  2. carlos souza disse:

    E tem mais:a situação do transporte coletivo na Região da Campanha também deve ser outro caos.Ouvi dizer que as linhas de fretamento da Marfrig em Bagé estão sendo operadas pelo Grupo Kopereck,no lugar da Rodam.Confere?A Rodam ainda existe ou fechou?Aliás,os ônibus que a Transpessoal trouxe de Pelotas,muitos já foram adquiridos usados e/ou seminovos pelo grupo.Aliás,nem Pelotas tem renovado mais a frota,e quando renova,ou é empresa de turismo ou é frota rodoviária do Grupo Kopereck.2 deles que vieram pra RG eram da Santa Maria e/ou Santa Rosa,ambas de Pelotas,que por sua vez,tinham adquirido-os já usados,do RJUltimamente tem vindo ônibus ex-Assur,de Guaíba,na Grande Porto Alegre,onde a situação tá feíssima.Alias,pra terminar,as regiões que pra mim são as mais antiéticas,desonestas,criminosas,ilegais e fraudulentas do Brasil e os principais porquês.
    1-Estado do RJ(violência,tráfico,criminalidade e corrupção)
    2- Brasília(criminalidade,corrupção,burocracia e concentração de recursos,além da política criminosa do toma-lá-dá-cá)
    3-Território gaúcho fora da Metade Norte(violência,desunião e politicagem)

Deixe uma resposta