Comutran aprova aumento de 9% na tarifa de ônibus de Petrópolis (RJ)

Proposta das empresas de ônibus, que queriam levar preço da passagem para R$ 7,58, foi rejeitada. Foto: Divulgação.

No cartão, valor passa de R$ 4,40 para R$ 4,80; no dinheiro, passagem será R$ 4,95

JESSICA MARQUES

O Comutran (Conselho Municipal de Trânsito e Transportes) de Petrópolis (RJ) aprovou um aumento de 9% na tarifa de ônibus municipais.

Com o reajuste, a tarifa passará de R$ 4,40 para R$ 4,80, caso seja paga no cartão. No pagamento por dinheiro, a tarifa ficará em R$ 4,95.

Segundo a Prefeitura, a decisão foi motivada pelo aumento de 80% no preço do diesel, considerando os últimos 30 meses.

Entretanto, a Prefeitura ressalta que a proposta das empresas de ônibus, que queriam levar preço da passagem para R$ 7,58, foi rejeitada.

O aumento foi aprovado durante reunião na noite desta terça-feira, 10 de maio de 2022.

JUSTIFICATIVA

Segundo a Prefeitura, “o reajuste, no entendimento do Conselho, é um forma de garantir o equilíbrio econômico e financeiro do sistema. E mais do que isso: garantir que o sistema continue existindo”.

“Diante do aumento do custo da operação, principalmente impulsionado pelo aumento de 80% no preço médio de distribuição do óleo diesel em Petrópolis e da obrigatoriedade contratual de se manter o equilíbrio econômico e financeiro, se fez necessária a revisão tarifária para propiciarmos o pleno funcionamento do sistema de transporte público da nossa cidade”, afirmou o diretor-presidente da CPTrans (Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes), Jamil Sabrá.

A Prefeitura informou ainda que, enquanto o custo do sistema vem aumentando (devido ao diesel e aos reajustes dos rodoviários), a receita vem caindo: o número de passageiros pagantes vem diminuindo a cada ano, devido à migração de passageiros para outros modais de transporte (carros, motos, aplicativos de transporte etc.).

Assim, com o reajuste da tarifa de ônibus, o Comutran busca garantir o equilíbrio econômico e financeiro do sistema.

“Como dito ao longo da reunião do Comutran, o transporte público coletivo vive uma crise nas cidades grandes e médias de todo o país, aprofundada a cada ano. Há uma tendência de queda do número de passageiros nos ônibus municipais. Com isso, há cada vez menos pessoas ‘dividindo a conta’ do sistema de transporte público, o que encarece a tarifa (já que o sistema é custeado apenas pelos passageiros pagantes)”, detalhou a Prefeitura, em nota.

Em relação à qualidade dos serviços prestados pelas empresas de ônibus, a CPTrans informou que “tomará medidas duras contra a Cascatinha, a Petro Ita e todas as empresas que apresentam deficiência na prestação do serviço”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta