Optibus lança ‘Otimização do Quadro Horário’, ferramenta que permite minimizar custos e quantidade de ônibus no horário de pico

Nova funcionalidade passou por testes bem-sucedidos em empresas de ônibus de outros países, como a TST, do grupo Arriva Portugal. Foto: Symon Torres/Ônibus Brasil

Funcionalidade chega ao Brasil após passar por testes em empresas e operadores de transporte público em várias partes do mundo

ALEXANDRE PELEGI

A Optibus anunciou nesta terça-feira, 03 de maio de 2022, o lançamento da Otimização do Quadro Horário.

A nova funcionalidade integra o Módulo de Programação da Optibus, que dinamiza as programações ao reunir todas as funções em uma única plataforma, de ponta a ponta.

As demais soluções separam os processos de programação e os dados em diferentes locais, o que torna o trabalho mais demorado, resultando em serviços de qualidade inferior”, garante comunicado da Optibus à imprensa especializada.

Ferramenta chega ao Brasil após testes bem-sucedidos em empresas de ônibus de outros países, como a TST, do grupo Arriva Portugal

De acordo com o comunicado à imprensa especializada, a ferramenta permitirá aos clientes minimizar custos e quantidade de ônibus no horário de pico (PVR) da Operação, ao mesmo tempo em que permitirá melhorar os quadros horários, mantendo a qualidade do serviço do transporte público.

A Optibus é uma solução de ponta a ponta nativa na nuvem para programação, planejamento, escala e operações de empresas e operadores de transporte público

Ainda de acordo com o comunicado, os clientes observaram uma redução de 5% no cálculo de veículos necessários, assim como nas despesas operacionais, nos primeiros testes da Otimização do Quadro Horário.

Membro do departamento de Programação da TST, do Grupo Arriva, Duarte Cunha declara que a Otimização do Quadro Horário da Optibus possibilitou à empresa reduzir o tempo de trabalho nos quadros horários, “entregando uma solução mais eficiente, o que não só aumentou a eficiência operacional, mas também melhorou a produtividade da programação”, disse Cunha.

Ainda segundo a Optibus, a Otimização do Quadro Horário permite aos operadores dos mais variados níveis técnicos explorar as capacidades de otimização e experimentá-las de imediato, criando quadros horários que contemplem intervalos de deslocamento desejados. “Assim, em questão de segundos, os algoritmos de otimização da Optibus aumentam a eficiência do quadro horário e aplicam alterações em ambas as direções da viagem, economizando tempo, pois eliminam o trabalho e as decisões baseadas em suposições para fazer a compensação manual de viagens”, informa o comunicado da empresa.

O painel de controle é de fácil leitura, e exibe as alterações realizadas ao longo da otimização, o que inclui tempos de parada, números de viagens alteradas em cada direção (por exemplo: 4 de direção ida, 8 na direção de volta), além do impacto nas métricas do negócio, incluindo veículos (PVR), eficiência de veículos (%) e custo total.

A Optibus garante que a Otimização do Quadro Horário é a única solução que calcula os custos enquanto contabiliza os custos fixos diários (tanto para motoristas quanto para veículos), os salários de motoristas por hora, o custo unitário de distância por veículo e preferências personalizadas envolvendo intervalos, as possibilidades de conexão entre as linhas e leva em consideração também o tempo e distância em viagens ociosas.

Como define o CEO e co-fundador da Optibus, Amos Haggiag, a qualidade de um sistema de transporte pode ser avaliada pela qualidade dos softwares utilizados em seu planejamento e operacionalização. “A Otimização do Quadro Horário é uma funcionalidade que substitui processos antigos e pouco eficientes por uma plataforma digital poderosa que é respaldada por algoritmos de otimização e computação em nuvem. Mais do que nunca, os operadores agora conseguem prever o impacto de seus quadros horários, elevando a qualidade de serviço a um novo patamar, reduzindo custos e aumentando a eficiência do trabalho”, ressalta Haggiag.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta