Motoristas de ônibus de Campinas (SP) passam por formação com simulador

Ao todo, o treinamento tem 12 horas de carga horária. Foto: Divulgação / Emdec.

Capacitação é fruto de parceria entre Emdec, Setransp, Transurc e Sest Senat

JESSICA MARQUES

Os motoristas de ônibus de Campinas, no interior paulista, vão passar por uma formação com simulador.

A capacitação integra o Programa de Formação dos Motoristas do Transporte Coletivo de Campinas.

Esta novidade é fruto de parceria entre a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), a Setransp (Secretaria Municipal de Transportes), o SEST SENAT Campinas e a Transurc (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas).

De acordo com a Emdec, para que todos os condutores possam participar, sem comprometer a operação, a capacitação será ofertada de abril de 2022 a dezembro de 2023.

Segundo a Emdec, a primeira turma já começou. “Além de valorizar e qualificar os condutores, a iniciativa visa melhorar serviços prestados pelo transporte público e contribuir para a cultura de paz e segurança no trânsito”, informou a empresa municipal, em nota.

Ao todo, o treinamento tem 12 horas de carga horária, sendo quatro dedicadas ao curso “Ética e cidadania no transporte coletivo de passageiros”, e oito ao curso “Condução em situações de risco no tráfego com prática simulada”.

A formação é destinada a motoristas das empresas concessionárias, e tratativas estão sendo realizadas com cooperativas dos permissionários para também viabilizar o treinamento destes motoristas.

NOVIDADE

O uso de simulador de direção é uma novidade em relação ao último curso similar, realizado em 2018.

“Sentado no equipamento e diante de um painel realista, o motorista tem a oportunidade de passar por diversas situações vividas nas vias, como chuva, tráfego intenso, travessia de pedestres e animais, paradas em pontos de ônibus para embarque de passageiros, entre outras. Além disso, a máquina reproduz movimentos e pode ser configurada para dar ao motorista a sensibilidade de conduzir um veículo vazio, com poucos ou muitos passageiros”, detalha a Emdec, em nota.

Ao final do trajeto virtual, o simulador fornece informações sobre o desempenho do aluno, incluindo se foram respeitados limites de velocidade e sinalização, além de dados como o consumo de combustível e a emissão de poluentes.

“O treinamento é uma troca: os instrutores estão aqui para ensinar, e os motoristas também trazem toda a sua experiência”, explica a gerente da Divisão de Desenvolvimento Institucional da Emdec, Débora Damasco. “No simulador, é possível abordar situações que o motorista vai viver no trânsito”.

“Quando o aluno chega, apresenta um desempenho. Quando passa novamente pelo simulador, o desempenho é outro. Com a experiência, ele consegue perceber a importância da direção segura e econômica”, explica o diretor do SEST SENAT Campinas, Marcelo Jacober de Moraes. “Essa formação demonstra a preocupação do poder público com o transporte público e os resultados que poderão ser observados no serviço”, avalia.

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

Entre os conteúdos abordados com os participantes nos dois cursos que integram o programa, estão a importância da ética e do papel do motorista, conceitos de cidadania no transporte e o atendimento respeitando as diferenças individuais. Sinalização, tráfego, atenção e situações potencialmente perigosas também são tratados no conteúdo programático.

Na parte prática, realizada no simulador, o motorista passará por três fases; de ambientação, para conhecer o equipamento; aplicação dos conhecimentos; e um teste final. Um laudo é emitido com o resultado da atuação e é enviado para o aluno e a empresa na qual ele trabalha.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta