CPTM: Serviço 710 foi suspenso na noite desta sexta (7) e passageiros andaram nos trilhos

Pessoas caminham nos trilhos devido a um trem quebrado. Foto: Juliana Biz/Diário da CPTM

Companhia não está informando os passageiros do que está acontecendo

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI/WILLIAN MOREIRA

Desde as 18h desta sexta-feira, 7 de janeiro de 2022, a circulação dos trens na Linha 10-Turquesa é realizada com velocidade reduzida e maior tempo de parada nas estações.

O motivo seria uma falha no sistema de energia que acaba afetando a operação de todos os trens, de acordo com relatos de passageiros nas redes sociais.

Avisos sonoros nas estações e trens, além dos canais oficiais da CPTM, não avisam do problema.

Outro passageiro menciona que pessoas estão caminhando nos trilhos devido um trem quebrado.

A CPTM enviou a seguinte nota ao Diário do Transporte, que demonstra que o problema na verdade suspendeu o serviço 710:

Nesta sexta-feira (07/01), por volta das 17h42, uma falha na rede aérea de energia causa velocidade reduzida na circulação de trens entre as estações São Caetano e Santo André, sentido Rio Grande da Serra, na Linha 10-Turquesa. Por causa disso, um trem ficou parado após sair da plataforma da estação São Caetano e os passageiros foram desembarcados para retornar à estação. O serviço 710 está temporariamente suspenso.

Os técnicos estão atuando para normalizar a operação.

Mais tarde a companhia informou que às 19h40 o serviço começou a se normalizar

A Linha 10-Turquesa entrou em processo normalização da circulação dos trens às 19h40 e o serviço 710 foi retomado.

Na tarde desta sexta-feira (07/01), às 17h42, uma falha na rede aérea de energia causou velocidade reduzida e maior tempo de parada na circulação de trens entre as estações São Caetano e Santo André, sentido Rio Grande da Serra, o que afetou toda linha. Um trem ficou parado após sair da plataforma da estação São Caetano e os passageiros foram desembarcados para retornar à estação. As causas estão sendo apuradas.

ALTERNATIVAS

Dependo da origem e destino do passageiro, há alternativas de trajeto, que são mais caras e demoradas que a CPTM em dias normais, mas que podem livrar o usuário da situação caótica como do início da noite desta sexta-feira (07).

Se o passageiro estiver em uma estação de Metrô, deve pela linha 2-Verde, descer na Estação Sacomã.

De lá, existem várias linhas de ônibus para o ABC.

Para São Bernardo do Campo, Diadema e Santo André: há coletivos da Viação Riacho Grande que passam pelo centro de São Bernardo de onde, inclusive, é possível pegar um trólebus (Metra/Corredor ABD) para Santo André e Diadema.

Para São Caetano do Sul, Santo André e Mauá: Há ônibus da EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André), Next Mobilidade e Turucuvi (depende do destino nestas cidades)

Para Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, além de São Caetano do Sul, Santo André e Mauá: Há ônibus da Viação Ribeirão Pires

As tarifas variam entre cada linha e não há integração.

São opções de emergência, mas dependendo do caso, podem trazer alguma vantagem.


Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ALEXANDRE KARPAVICIUS FILHO disse:

    Nada . Só mais uma “ocorrência técnica” . As ovelhas já estão acostumadas …

  2. MARCOS ROBERTO ORLANDO disse:

    Os problemas da CPTM de monitoramento, informações sobre os horários e problemas nos trens e outros, estão ocorrendo a meses.
    Até antes da pandemia,os trens atrasam sem avisos,vem identificados com um destino e derrepente eles mudam os trens ,eles alegam sempre os mesmos motivos, os trens estão em uma linha e derrepente tem que dar marcha rê e trocar de trilho.
    Tudo é uma mentira ,quando acontece as chuvas ,muitos pontos que já não estão mais alagados, são omitidos por eles ,que travam os trens e descarregam os passageiros em uma estação.
    Um descaso só mentira, está pior que a 30 anos atrás, não pela superpopulação que aumentou e sim pelo serviço apresentado.

Deixe uma resposta