Campo Grande (MS) cria Comissão que estudará valor de subsídio para a tarifa do transporte coletivo

Foto: Victor Costa / Ônibus Brasil

Com reajuste limitado a 5%, tarifa será insuficiente para reajustar salários dos rodoviários, o que redundaria em greve dos profissionais

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Campo Grande (MS), Marcos Marcello Trad, assinou Decreto publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, 07 de janeiro de 2022, instituindo a Comissão de Estudos responsável por definir o valor a ser concedido ao Consórcio Guaicurus, como complementação da tarifa do Transporte Coletivo.

O decreto considera que a limitação do reajuste tarifário anual em até 5% impossibilitou o Consórcio de conceder aumento salarial aos seus empregados, o que motivou a deflagração de movimento grevista.

Com a tarifa reajustada de R$ 4,20 para R$ 4,40 o Consórcio alegou que seria impossível reajustar o salário dos funcionários. Para isso, seria necessário um de reajuste de cerca de 21%, o que elevaria a tarifa para R$ 5,12.

O papel da Comissão será definir a complementação entre a tarifa pública, reajusta para R$ 4,40 e a tarifa técnica, que espelha o custo real do transporte.

A Comissão será composta por 17 membros, entre representantes de vários organismos da prefeitura, representantes do Procon (do estado e do município); do Ministério Público;  Ministério Público Federal do Trabalho; Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul; Tribunal de Contas do Estado; Câmara Municipal de Campo Grande; e por fim representante do Governo do Estado, do Consórcio Guaicurus e do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo.

Como mostrou o Diário do Transporte, a greve de ônibus de Campo Grande (MS), que poderia ocorrer nesta sexta-feira (07) foi adiada após reunião realizada nesta quinta-feira (06) entre a prefeitura, Sindicato dos trabalhadores e empresas de ônibus, no MPT (Ministério Público do Trabalho). A constituição da Comissão é uma resposta para garantir o reajuste dos trabalhadores e evitar a paralisação.

Veja o decreto na íntegra:


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta