São Bernardo do Campo habilita três empresas em licitação para obras remanescentes do corredor de ônibus Leste-Oeste

Foto: Henrique Santos /Ônibus Brasil

Empresa vencedora assumirá também a construção de um terminal de passageiros e obras de arte especiais, bem como obras complementares

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, divulgou na edição do Diário Oficial desta quarta-feira, 05 de janeiro de 2022, o resultado da fase de habilitação da licitação destinada à contratação das obras remanescentes do Corredor Leste-Oeste.

Caberá à empresa vencedora do certame, além da execução de obras remanescentes para a implantação do corredor urbano Leste-Oeste, a construção de um terminal de passageiros e obras de arte especiais, bem como obras complementares.

Das cinco empresas que apresentaram propostas, a Comissão de Julgamento de Licitações (COJUL) habilitou três delas: Teto Construtora S/A; Versátil Engenharia Ltda e Construtora Kamilos Ltda.

Foram inabilitadas as outras duas participantes do certame: BLK Construção e Empreendimento Eireli e a ETC Empreendimentos e Tecnologia em Construções Ltda.


Em 2018, como mostrou o Diário do Transporte, o Corredor Leste-Oeste ainda estava em obras.

Com 13,6 quilômetros de extensão desde o km 22 da rodovia dos Imigrantes, perto do limite com Diadema, até a Praça dos Bombeiros, ele passa pela estrada Samuel Aizemberg, avenida José Odorizzi, viaduto Tereza Delta, avenidas Francisco Prestes Maia e Tiradentes.

A obra foi dividida em dois lotes, com licitação realizada em 2014.

Lote 01 – compreende a implantação do corredor de ônibus com faixa exclusiva à esquerda da via no trecho formado pela Estrada Samuel Aizemberg, Av. dos Flamingos e Av. José Odorizzi; terminal de passageiros, viadutos nos cruzamentos com as Avenidas Robert Kennedy e Castello Branco e implantação do complexo viário da Praça dos Bombeiros.

Lote 02 – compreende a implantação do corredor de ônibus com faixa exclusiva à esquerda no trecho formado pelo Viaduto Teresa Delta, Av. Newton Monteiro de Andrade, Av. Francisco Prestes Maia e Rua Tiradentes, incluindo a complementação do complexo viário Mário Covas com a execução de novas de alças de acesso e duplicação do viaduto Teresa Delta.

O Lote 1 foi contratado com o Consórcio Mobilidade SBC (Construtora OAS S/A e Constran S/A), e o Lote 2 com o Consórcio Encalso/Covap.

O contrato do Lote 1 foi assinado em 03 de julho de 2014, com prazo de execução previsto de 18 meses e valor de R$ 209.121.093,16 (base março de /2013). Recebeu quatro aditivos, e em 2018 o valor do contrato estava na ordem de R$ 259.241.537,41 (base março/2014), sendo R$ 165.000.000,00 de recursos do FGTS oriundos de contrato de financiamento e R$ 94.241.537,41 de recursos municipais em contrapartida.

Já o Lote 2 teve como vencedor o Consórcio Encalso/Convap, formado pelas empresas que dão nome ao consórcio. O contrato foi assinado em 15 de maio de 2014, com prazo de execução previsto de 18 meses e valor de R$ 126.281.816,59 (base março de 2013), após dois aditivos. O fim das obras estava previsto para dezembro de 2019 e o valor do contrato, em 2018, estava na ordem de R$ 137.436.619,49. Desse total, R$ 82 milhões eram recursos do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 55.436.619,49 de recursos municipais à título de contrapartida.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luis Nunez disse:

    Até hoje este corredor Leste-Oeste não disse a que veio. Não há linhas, não há integrações, não foram criadas novas linhas que fizessem a população ser realmente beneficiada.

Deixe uma resposta