Consórcio Guanabara desiste do pedido para operar linhas da Itapemirim que serão suprimidas ou canceladas

Desistência foi protocolada no mesmo dia em que Consórcio fez solicitação à ANTT

ADAMO BAZANI

Durou horas a intenção do Consórcio Guanabara, de Jacob Barata, de operar parte das linhas que da Itapemirim e Caiçara que serão suprimidas ou paralisadas.

Em um novo protocolo à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), o escritório que representa o Consórcio Guanabara registrou a desistência do pedido feito ainda nesta quinta-feira, 30 de dezembro de 2021, de atendimento temporário dos mercados e requereu o arquivamento.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Viação Itapemirim e a Viação Caiçara, que integram o Grupo Itapemirim, tiveram pedido aceito para suprimir ou paralisar 61 linhas e/ou mercados.

Veja a relação no link:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/30/grupo-itapemirim-tera-supressao-e-paralisacao-de-61-linhas-apos-solicitacao-a-antt/

A autorização para a Itapemirim suprimir ou paralisar as linhas começa a valer em 27 de janeiro de 2022.

Com isso, não deve haver mais a possibilidade de operação do Consórcio Guanabara em ligações entre os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, que estão entre os serviços da Itapemirim a serem suprimidos ou paralisados.

A Viação Itapemirim disse em nota ao Diário do Transporte que a medida é para reduzir custos e maximizar lucros

O Grupo Itapemirim esclarece que apresentou recentemente um plano de reestruturação logístico e operacional, com o objetivo de reduzir custos e maximizar os resultados financeiros em suas rotas de longa distância. Adicionalmente, informamos que as operações rodoviárias do Grupo Itapemirim seguem de forma normal, com cobertura em mais de 2.700 destinos no Brasil e com o mesmo nível de segurança, serviço e eficiência operacional característicos da Viação Itapemirim.

A Itapemirim diz ainda que a “empresa continua com todos os mercados, pois tem sessão em todas as linhas suprimidas”. Segundo a companhia, “a medida trará rentabilidade para empresa, pois vai utilizar todas as linhas com outras no mesmo sentido e percurso”

PEDIDO DE ANTES DA DESISTÊNCIA:

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta