Senado publica resolução que autoriza empréstimo de US$ 97 milhões para o BRT-Aricanduva em São Paulo

Publicação no Diário Oficial da União é mais uma etapa vencida para captação dos recursos e implantação do corredor exclusivo de ônibus

ALEXANDRE PELEGI

Mais um passo foi dado para a implantação do Corredor de BRT do Aricanduva, na capital paulista.

Como adiantou o Diário do Transporte em 15 de dezembro de 2021, o Plenário do Senado aprovou no início da noite da terça-feira (14) a autorização para a prefeitura de São Paulo utilizar US$ 97 milhões de empréstimo do BIRD (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento) para o BRT-Aricanduva.

A autorização foi anunciada em primeira mão com entrevista do assessor especial do prefeito Ricardo Nunes, Marcelo Barbieri (ex-deputado federal e ex-prefeito de Araraquara). Relembre:

ENTREVISTA: Plenário do Senado aprova empréstimo internacional de US$ 97 milhões para o BRT-Aricanduva em São Paulo

Após a aprovação, na seção “Atos do Senado Federal” no Diário Oficial da União de sexta-feira (17), foi publicada a Resolução nº 38, que oficializa o ato legislativo (leia abaixo).

Com o recurso garantido, segundo adiantou Barbieri ao Diário do Transporte, já será possível fazer a licitação para o BRT.

O BRT-Aricanduva será um sistema de ônibus rápidos de 13,6 quilômetros que terá início no cruzamento das avenidas Radial Leste e Aricanduva, seguindo pelas avenidas Aricanduva e Ragueb Chohfi até o Terminal São Mateus da EMTU, na região da Praça Felisberto Fernandes da Silva.

Há estimativa de uso de ônibus elétricos no sistema.

A compartida da prefeitura será de aproximadamente US$ 23 milhões.

O empréstimo terá garantia da União, por isso a necessidade de aprovação pelo Senado.

O BRT (Bus Rapid Transit), que deve atender a cerca de 300 mil passageiros por dia vai se conectar, em São Mateus, à linha 15-Prata do monotrilho e ao Corredor Metropolitano ABD de ônibus e trólebus gerenciado pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), do Governo do Estado, operado pela empresa Next Mobilidade. O trajeto também deve fazer conexão com as linhas 11 e 12 da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), por meio do contato com a linha 3-Vermelha do Metrô ainda na zona Leste.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta