Itapemirim pode prejudicar futuro do transporte de São José dos Campos, diz sindicato de motoristas; prefeitura afirma que Grupo apresentou garantias

Foto: Tailisson Fernandes / Ônibus Brasil

Em nota, entidade sindical alerta que crise de empresa aérea ITA é sinal preocupante para a prestação do serviço de ônibus municipal, cuja operação está prevista para se iniciar em 2022

ALEXANDRE PELEGI

O Sindicato dos Condutores do Vale Paraíba encaminhou nota ao Diário do Transporte em que manifesta preocupação com o futuro do sistema de transporte público de São José dos Campos a partir de 2022, quando ele deve passar a ser operado pelo grupo Itapemirim.

A nota foi motivada pelas últimas notícias referentes à crise enfrentada pelo Grupo, com a suspensão de voos da empresa aérea. Relembre:

ANAC suspende Certificado de Operador Aéreo da ITA (Itapemirim Transportes Aéreos)

No comunicado, a entidade sindical afirma que aguarda posição oficial clara e imediata do prefeito Felício Ramuth (PSDB) frente à crise.

Além disso, aguarda um compromisso público, com garantias, de que o serviço de transporte público do município não será afetado por essa questão.

A prefeitura, em nota encaminhada à redação, informa que, para a assinatura dos contratos de concessão das linhas 1 e 2 do novo transporte público, a empresa Itapemirim Group Ltda apresentou todas as garantias necessárias, “entre elas a criação de empresas específicas para a operação do sistema na cidade e a apresentação de apólice seguro-garantia”.

A prefeitura complementa afirmando que “até o momento a empresa vem cumprindo todas as etapas previstas no edital de licitação”.

Na nota do Sindicato de motoristas, a entidade alega que fez várias denúncias e alertas sobre a crise da Itapemirim ao longo dos últimos meses, e que tudo isso tem sido ignorado sistematicamente pelo poder público.

Estas denúncias, afirma a entidade, foram tornadas públicas “desde que o Grupo Itapemirim foi flagrado desrespeitando direitos trabalhistas e abandonando à própria sorte o serviço de transporte público em outras cidades do país, como ocorreu, por exemplo, em Nova Friburgo (RJ)”.

Por fim, o sindicato exige a realização de reunião urgente com o Grupo Itapemirim para tratar de garantias de emprego e direitos dos funcionários do sistema. Esta reunião, reitera a entidade, “tem sido recusada, sistematicamente, tanto por representantes do grupo empresarial como por parte do poder público”.

Relembre:

Itapemirim e São José dos Campos assinam contrato e empresa tem 150 dias para começar a operar todo o sistema

LEIA  NOTA DO SINDICATO DOS CONDUTORES NA ÍNTEGRA

Frente às últimas notícias sobre a crise enfrentada pelo Grupo Itapemirim, com a suspensão de voos de seu braço aéreo, o Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba vem a público manifestar sua preocupação com o futuro do sistema de transporte público de São José dos Campos a partir de 2022, quando ele deve passar a ser operado pelo referido grupo. O Sindicato informa que:

  • Como representante dos trabalhadores do sistema, aguarda uma posição oficial clara e imediata do prefeito Felício Ramuth (PSDB) frente à crise do Grupo Itapemirim, assim como seu compromisso público, com garantias, de que o serviço de transporte público de São José dos Campos não será afetado por essa questão, alheia ao nosso município;
  • Denúncias e alertas sobre a crise do Grupo Itapemirim, feitas por essa entidade sindical ao longo dos últimos meses, têm sido ignoradas sistematicamente pelo poder público (veja anexo); denúncias estas, é bom lembrar, tornadas públicas desde que o Grupo Itapemirim foi flagrado desrespeitando direitos trabalhistas e abandonando à própria sorte o serviço de transporte público em outras cidades do país, como ocorreu, por exemplo, em Nova Friburgo (RJ);    
  • Como legítima representante dos trabalhadores, esta entidade sindical exige a realização de reunião urgente com o Grupo Itapemirim para tratar de garantias de emprego e direitos dos funcionários do sistema; reunião esta que tem sido recusada, sistematicamente, tanto por representantes do grupo empresarial como por parte do poder público;
  • Por fim, esta entidade sindical volta a manifestar a sua preocupação com o modelo de licitação idealizado e adotado pela Prefeitura de São José dos Campos para o transporte público, e as mudanças de regra realizadas ao longo do certame (que permitiram ao Grupo Itapemirim assumir os dois lotes da licitação); modelo este ameaça levar ao colapso o sistema em 2022, prejudicando milhares e milhares de pessoas que dependem o serviço de ônibus diariamente em nossa cidade.

Caso essa crise, alavancada por um grupo em recuperação judicial e sinais claros de dificuldades, venha a contaminar o sistema de transporte público de São José dos Campos, será o desfecho de um problema anunciado há tempos, contra a qual o poder público tem feito, até aqui, ouvidos moucos. É hora de respostas e de compromissos claros com o bem-estar dos trabalhadores e da comunidade.

São José dos Campos, 20 de dezembro de 2021.

Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba


OUTRO LADO

Nota da prefeitura de São José dos Campos:

A Prefeitura de São José dos Campos informa que, para a assinatura dos contratos de concessão das linhas 1 e 2 do novo transporte público, a empresa Itapemirim Group Ltda apresentou todas as garantias necessárias, entre elas a criação de empresas específicas para a operação do sistema na cidade e a apresentação de apólice seguro-garantia.

Até o momento a empresa vem cumprindo todas as etapas previstas no edital de licitação.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Ferreira disse:

    Essa empresa está com diversos processos, inventaram uma tal de Kaiçara pra rodoviário a tal da ITA, deu o cano em um monte de passageiros ontem, o avião deles é um A319 pra pista curta de 29 anos, etc… Como o grupo do Ramuth acha que isso vai funcionar.?

    1. MARCOS NASCIMENTO disse:

      Eu queria entender como esse prefeito vagabundo do PSDB*STA me tira 3 empresas para colocar uma só no lugar. As empresas de S.J.Campos – Princesa, CS Brasil e Saens Pena do RJ prestavam um serviço bom quando comparado com cidades de mesmo porte de outros Estados. Uma coisa é certa, tem corrupção generalizada correndo nesta prefeitura e como sempre tudo vira em pizza em nada é investigado a fundo. Num país repleto de ladrões na política NADA deve ser desconsiderado quando envolve ainda ligação com péssimos empresários.

      1. João Pedro Rocha de Oliveira disse:

        A empresa verde, de prefixo 3xxx, é a Expresso Maringá.

  2. Haroldo Motta disse:

    Espera para ver quando o contrato começar e como uma passe de magica a tarifa for revisada para cima, presenteando o novo “empresário”.

Deixe uma resposta