Volkswagen Caminhões e Ônibus terá importador autorizado na Ásia

Micro-ônibus serão enviados ao país para montagem local. Foto: Reprodução.

Novidade entra em vigor a partir de 2022, nas Filipinas, país localizado no sudeste asiático

JESSICA MARQUES

A Volkswagen Caminhões e Ônibus terá um importador autorizado na Ásia a partir de 2022. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira, 09 de dezembro de 2021, pelo presidente e CEO da empresa, Roberto Cortes, em entrevista coletiva.

“A partir do ano que vem, a marca Volkswagen Caminhões e Ônibus terá, pela primeira vez em sua história, um importador autorizado na Ásia, nas Filipinas, país emergente localizado no sudeste asiático”, anunciou.

“Caminhões fabricados em Resende (RJ) seguirão prontos do Brasil e micro-ônibus serão enviados àquele país para montagem local, através de uma parceria com a MACC, que será nossa representante no país”, detalhou também Cortes.

Além de Resende, a VWCO mantém uma linha de montagem no México, que também trabalha com produtos completos e montados localmente.

Na África do Sul, a fabricante mantém a parceria com a MAN para montagem local dos veículos com direção do lado direito.

Ao todo, serão dez modelos ofertados ao mercado filipino, das famílias Delivery e Constellation para caminhões e Volksbus para ônibus, com configurações customizadas à aplicação nacional pela Engenharia da Volkswagen Caminhões e Ônibus, dentro do conceito sob medida.

Segundo a fabricante, as primeiras 40 unidades já estão vendidas e contarão com oito pontos de atendimento ao redor do país.

CRESCIMENTO NA CONTRATAÇÃO

Atualmente, a Volkswagen Caminhões e Ônibus conta com 5 mil funcionários, sendo mil contratados durante a pandemia de covid-19, o que representa um crescimento de 25%.

“Com esse efetivo, nossa intenção é atingirmos volumes de produção necessários para a demanda do final deste ano e também em 2022, além de garantir que nossa participação no mercado ocupe cada vez mais posições de liderança”, disse.

A VWCO e as empresas do Consórcio Modular concluíram a última onda de contratações de 2021. Ao longo do ano, 550 novas vagas foram preenchidas.

As vagas, como explica Cortes, não se limitaram à produção. A montadora vai investir R$ 2 bilhões até 2025 e parte desses recursos já movimentam sua operação no exterior.

SETOR DE ÔNIBUS SEGUE FRAGILIZADO

Entretanto, a produção é movida principalmente pelas demandas de caminhões, uma vez que o setor de ônibus segue fragilizado.

Hoje, a fábrica está operando com dois turnos cheios, respeitando as normas sanitárias para combate à covid-19.

“Com muita satisfação, posso dizer que, mesmo com toda a dificuldade que nós tivemos esse ano, por falta de peças de toda natureza, principalmente semicondutores, nós não paramos a nossa fábrica nenhum dia. Isso não quer dizer que produzimos normalmente. Muito pelo contrário, tivemos muita dificuldade, perdemos algumas unidades em alguns dias e semanas, mas sempre tentamos recuperar assim que os chips ou peças chegassem em nossa fábrica”, afirmou o CEO da VWCO.

Atualmente, a fabricante responde por cerca de 30% dos emplacamentos de caminhões novos e aproximadamente 27% em ônibus no Brasil.

PERSPECTIVAS PARA 2022

Cortes afirma que, apesar de o setor de ônibus não estar aquecido, devido à crise que afeta as vendas em todo o país, as perspectivas para 2022 são de crescimento.

“A gente sabe que, diferentemente de caminhões, ônibus não está crescendo neste ano, principalmente em função destas questões de covid, mas a gente acredita que esse progresso fabuloso da vacinação vai auxiliar na recuperação do segmento urbano e deve voltar as compras, o que não está acontecendo”, disse.

“O segmento de vendas de ônibus urbanos deve voltar com a melhora da vacinação e os rodoviários também, com a volta do turismo, e de fretamento também pela volta das atividades econômicas. Devemos crescer além do programa Caminho da Escola, que existe há décadas e para 2022 temos comprometido um bom volume para esse programa. Acreditamos em um crescimento, mas é difícil cravar um percentual”, considerou também o CEO.

PROCONVE P-8

Também em entrevista coletiva, Cortes anunciou que a fabricante se prepara para atender à próxima norma de emissões a entrar em vigor no Brasil, o Proconve P-8.

O primeiro veículo a inaugurar o portfólio da marca nessa legislação será o Delivery Express+, que se enquadra na categoria de comerciais leves para a qual a regra vale a partir do próximo mês de janeiro.

O modelo terá motor desenvolvido pela própria engenharia e produzido pela FPT. De acordo com a VWCO, o veículo pode apresentar uma economia de até 5% em combustível.

“Com a proximidade da transição completa prevista na legislação brasileira de emissões, a indústria de caminhões e ônibus terá à frente um grande desafio: garantir aos clientes não apenas produtos tecnologicamente atuais, mas com preço justo e disponibilidade de peças. Boa parte delas importada”, pontuou Cortes.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta