Itapemirim diz que grupo que pediu falência da empresa não está apto a receber e aciona a Justiça por má fé processual

Viação pede que judiciário determine indenização e que Ministério Público apure possível crime de possível crime falimentar

ADAMO BAZANI

A Viação Itapemirim acionou a Justiça contra um grupo de cinco credores que nesta semana pediu a falência da empresa e demais coligadas por suposto descumprimento dos termos da recuperação judicial.

Em petição assinada pela advogada Karina De Oliveira Guimarães Mendonça, a Itapemirim alegou ao Tribunal de Justiça de São Paulo que houve “flagrante má-fé processual” porque os credores não estão aptos a contar com os depósitos uma vez que, ainda segundo a Itapemirim, não ocorreu o “envio de procuração com poderes para dar e receber quitação (documento solicitado pelas Recuperandas quando os patronos informam seus próprios dados bancários)”.

A Itapemirim pede também que a Justiça encaminhe o caso para o Ministério Público para que seja investigado possível crime de possível crime falimentar.

A empresa administrada por Sidnei Piva pede ainda que o TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo) condene os credores por litigância de má-fé, com o pagamento de multa entre 1% (um por cento) a 10% (dez por cento) do valor corrigido da causa, bem como na indenização em favor destas Recuperandas no percentual a ser arbitrado pela Justiça.

O TJSP ainda vai decidir.

“Este é mais um exemplo de que todos estes movimentos de tentativa de prejudicar a imagem da Itapemirim. Estes credores não estão aptos a receber e, mesmo assim, pediram a falência. Foi pura má-fé” – disse Piva ao Diário do Transporte neste sábado, 04 de dezembro de 2021.

A petição da Itapemirim foi protocolada na sexta-feira (03).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ANA disse:

    Culpado de tudo a justiça pq não entendo como fazem leilões e o dinheiro desaparece a justiça não toma nenhuma providência e fica por ísso mesmo uma empresa que está no plano de recuperação só inventa pra gastar dinheiro eu quero que cresça mais também quero receber o meu que é de direito pensao alimentícia perdi até meu imóvel por falta de pagamento vivo doente com entradas sempre em upas justiça tem que ser pra todos não quero prejudicar e sim quero meu de direito. Só um desabafo.

Deixe uma resposta