Dentre os dez maiores investimentos para 2022 na capital SP, prefeitura prevê R$ 600 milhões para recapeamento de vias, R$ 100 milhões a mais do que para corredores de ônibus

Orçamento municipal privilegia investimento para automóveis. Foto: Diário do Transporte

Comissão de Orçamento da Câmara publicou nesta quinta-feira (02) relatório sobre o PL da peça orçamentária para o próximo exercício

ALEXANDRE PELEGI

A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara de vereadores de São Paulo publicou do Diário Oficial da Município desta quinta-feira, 02 de dezembro de 2021, parecer sobre o Projeto de Lei 669/2021, encaminhado pelo prefeito Ricardo Nunes, e que trata do orçamento do Município de São Paulo para o exercício de 2022.

Os dez maiores investimentos do Plano para 2022, que somam R$ 4,7 bilhões, representa 2/3 do total de R$ 7,1 bilhões do previsto.

Na relação dos dez mais, estão ações voltadas ao trânsito e ao transporte público.

Na área de transporte público, estão destinados para Implantação de Corredores de Ônibus Novos cerca de R$ 260 milhões, e mais R$ 247 milhões para Ampliação, Reforma e Requalificação de Corredores de Ônibus.

Já para Pavimentação e Recapeamento de Vias, estão previstos R$ 603 milhões. Para Intervenções no Sistema Viário mais R$ 328 milhões.

Pela tabela, vê-se que o total dos recursos previstos para recapeamento de ruas tem R$ 100 milhões a mais do que o destinado para corredores de ônibus.

Do total previsto para investimento na Implantação de Corredores de ônibus Novos, R$ 218 milhões dos R$ 260 previstos serão provenientes de operações de crédito.

No caso do recapeamento, dos R$ 603 milhões, R$ 550 milhões advirão de operações  de crédito.

FUNDO

Outro item do orçamento em destaque é o referente ao Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito.

Este Fundo tem previsão orçamentária de R$ 1,3 bilhão, dos quais estão previstos R$ 278 milhões para operações tapa buraco, R$ 65 milhões na manutenção e operação de sistemas de informação e comunicação, R$ 37,9 milhões para o mesmo serviço no policiamento de trânsito.

Como o próprio nome revela, o Fundo é destinado para o trânsito da cidade, o que explica R$ 459,9 milhões para serviços de engenharia de tráfego e mais R$ 150 milhões para manutenção e operação do controle e fiscalização de tráfego.

Para o transporte público, do total de R$ 1,3 bilhão, estão previstos apenas R$ 67 milhões para construção de terminais de ônibus e R$ 74,6 milhões para manutenção e operação. O item ampliação, reforma e requalificação de corredores de ônibus tem apenas de R$ 39,6 milhões.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta