Doria desobriga uso de máscaras em ambientes abertos no Estado de São Paulo a partir de 11 de dezembro

NO TRANSPORTE PÚBLICO, OBRIGATORIEDADE CONTINUA

Cidades terão liberdade para manter a exigência se acharem melhor; Em ônibus, trens, metrô e comércios, obrigatoriedade continuará

ADAMO BAZANI

Colaborou Willian Moreira

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou em entrevista coletiva no início da tarde desta quarta-feira, 24 de novembro de 2021, que o uso de máscaras de proteção contra a covid-19 deixará de ser obrigatório em ambientes abertos a partir de 11 de dezembro de 2021.

A medida vale, por exemplo, para ruas, avenidas, praças, parques (áreas não cobertas), praias, descampados, etc.

Continua obrigatório o uso de máscaras de proteção contra a covid-19 em locais fechados e de aglomeração, como no transporte coletivo: terminais, estações, pontos, paradas, vans, micro-ônibus urbanos, ônibus rodoviários, trólebus, monotrilho, VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), BRT (Bus Rapid Transit), trens, metrô.

O uso no transporte individual privado, como em táxis e carros de aplicativo, também continua obrigatório, assim como em aviões e aeroportos.

As pessoas terão de manter a máscara também em comércio de rua, shoppings, cinemas, teatros, casas de shows, igrejas, templos em geral, postos de combustíveis, lojas de conveniência, etc.

Para liberar o uso de máscara, o governo do Estado disse que levou em conta parâmetros relacionados à doença.

O governo estima que até 30 de novembro, em torno de 80% da população apta a receber a vacina estejam com o ciclo vacinal completo.

Circulação do vírus – META: -menos de 1.110 casos diários em média móvel de 15 dias

Internações – METRA: abaixo de 300 internações diários em média móvel de 15 dias

Número de óbitos – META: menos de 50 casos diários em média móvel de 15 dias

Vacinação – META: 75% das pessoas que devem receber a vacina com a imunização completa

O governo ainda anunciou que do dia 1º ao dia 10 de dezembro de 2021,  em todos os 645 município,s será feita uma ação de reforço vacinal para quem ainda especialmente não tenha tomado a segunda dose, possa ser imunizada.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta