Santo André anuncia US$ 50 milhões para programa de mobilidade; parte do valor será destinada à capacitação de mulheres que atuarão no sistema de transporte municipal

Ônibus urbano da Suzantur saindo do Terminal Santo André Oeste

Metade dos recursos virão de empréstimo do BID; objetivo é capacitar também o quadro de colaboradores da Secretaria de Mobilidade Urbana e da SATRANS

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Santo André, no ABC Paulista, abriu procedimento de manifestação de interesse para contratação de empresas ou consórcios para a realização de cursos e treinamentos visando capacitar um público-alvo de 80 mulheres para atuarem na operação do sistema de transporte coletivo municipal.

Os cursos serão também destinados a capacitar o quadro de colaboradores da Secretaria de Mobilidade Urbana e da SATRANS (empresa pública que gerencia e fiscaliza o transporte coletivo do município).

Conforme publicado no Diário Oficial deste sábado, 20 de novembro de 2021, os cursos fazem parte do PMUS/SA – Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Santo André.

De acordo com a publicação, o Programa terá aporte total de recursos da ordem de US$50 milhões, cerca de R$ 280 milhões. Metade desse montante será financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a outra metade virá de recursos da Prefeitura.

Uma parcela desse valor será utilizada para a contratação da empresa que fará a prestação de serviços especializados de capacitação.

A prefeitura informa que os cursos e treinamentos “deverão possibilitar a compreensão de que a desigualdade de gênero, em qualquer setor da sociedade, é decorrente de processos multifatoriais, carregando não apenas a complexidade existente entre a construção social binária homem X mulher, mas também a observação da mulher na sua integralidade. Dentre as atividades previstas para a Contratação estão: a realização de cursos, treinamentos, workshops e palestras com disponibilização de material didático”.

As manifestações de interesse deverão ser recebidas, em mídia digital e impressa até às 17h00min do dia 16 de dezembro de 2021.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Leandro Jorge munhoz disse:

    Na saúde e educação 90 por cento são de mulheres , engraçado que nunca vi ninguém falar em cota pra homens . Isso sim traz desigualdade , que se. Contrate o mais habilitado e não por sexo .

Deixe uma resposta