Pesquisa revela que uma em quatro pessoas negras já evitou transporte coletivo por medo de racismo

Levantamento faz parte do Guia da Comunidade 99, divulgado neste mês pelo Dia da Consciência Negra. Foto: Divulgação.

Meios mais evitados são ônibus (40%), vans (13%) e metrô (10%)

JESSICA MARQUES

Uma em quatro pessoas negras já evitou transporte coletivo por medo de racismo. É o que revela uma pesquisa realizada com usuários da 99 e outros transportes por aplicativo.

O estudo reúne 1308  de usuários de carros por aplicativo de todo o país, considerando a 99 e outras plataformas. A divulgação foi feita neste mês devido ao Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro.

Assim, segundo a pesquisa, o medo de ser vítima de casos de racismo já fez com que 24% dos negros (pessoas que se autodeclaram pretas e pardas) evitassem usar algum tipo de transporte. Os meios mais evitados são ônibus (40%), vans (13%) e metrô (10%).

Além disso, 46% de todos os entrevistados já presenciou um ato de racismo em ônibus, trem, vans e metrô, e um em cada cinco negros afirma que já foi vítima de discriminação nesses locais.

Em contrapartida, carros por aplicativo foram os meios citados como seguros em relação ao racismo por 32% das pessoas.

O levantamento faz parte do Guia da Comunidade 99, um documento que tem como objetivo promover o respeito entre os usuários da plataforma combater a discriminação, e foi realizado para entender como o preconceito racial impacta a mobilidade urbana.

 

 SOCIEDADE RACISTA

O estudo revelou ainda que, dentre o total de entrevistados, 54% acreditam que a sociedade é racista e 46% que somente algumas pessoas o são. No entanto, apenas 1,5% admitem que são eles mesmos preconceituosos.

Segundo a 99, para a amostragem, foram aplicados questionários online, no final do mês de outubro, e os dados reúnem 1308 respostas de usuários de carros por aplicativo de todo o país (da 99 e de outras plataformas). Do total, 42% dos passageiros e 58% dos motoristas se declaram pretos ou pardos.

O levantamento também revelou o preconceito em estabelecimentos comerciais: 49% já presenciou em lojas e shoppings e 48% em mercados. Para as pessoas negras, esses são os lugares onde mais acontece racismo: 33% e 26% já foi discriminada neles, respectivamente. “Eu (preto) e meu primo (branco) estávamos discutindo no shopping e o segurança abordou ele perguntando se eu estava incomodando”, relata um dos respondentes.

COMBATE AO RACISMO

Sobre a melhor maneira de combater o racismo, 66% dos passageiros e 56% dos motoristas pretos e pardos responderam que o caminho é a educação sobre diversidade nas escolas. Na sequência, 52% dos passageiros e 45% dos motoristas acreditam que investir em campanhas de conscientização é a melhor saída. 

Em nota, a 99 informou que, para incentivar a diversidade e combater o preconceito, investe continuamente na promoção de respeito, gentileza e empatia nas corridas.

“Em parceria com o Instituto Ethos, a companhia criou o Guia da Comunidade 99, que tem como objetivo conscientizar mais de 20 milhões de passageiras, passageiros e motoristas. O documento, promovido através de campanhas no app e outras mídias, fomenta os comportamentos esperados na plataforma e dá dicas práticas de combate ao racismo e outras formas de discriminação.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta