Abrati apoia Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito e alerta para importância de estradas mais seguras

Lembrada neste domingo (21), data serve para alertar sobre riscos do transporte clandestino, que opera no país sem qualquer cuidado básico com a segurança dos passageiros

ALEXANDRE PELEGI

A Abrati – Associação das Empresas de Transporte Terrestres, está apoiando uma campanha mundial juntamente com a SOS Estradas, a Ong Trânsito Amigo e muitas outras entidades em prol do “Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito”, efeméride lembrada sempre no terceiro domingo de novembro.

Neste ano o evento será neste domingo, 12 de novembro de 2021.

A data é lembrada para alertar sobre a necessidade de comprometimento de todos em prol de um trânsito mais responsável e seguro.

Letícia Pineschi, porta-voz da Abrati, ressalta que “a responsabilidade de tornar nossas estradas mais seguras é de todos: autoridades, empresas, motoristas, pedestres e passageiros, com um compromisso coletivo pela legalidade e regularidade podemos poupar de muita dor diversas famílias“.

No domingo serão distribuídos folhetos nas estradas, rodoviárias e meios digitais pelas empresas de ônibus que compõem a entidade.

Vale sempre destacar as ocorrências de trânsito no mundo vitimam letalmente mais de 1 milhão e 300 mil pessoas, além de ferir 50 milhões. Apenas no Brasil são mais de 300 mil por ano, entre mortos e pessoas com invalidez permanente.

A Abrati lembra que o transporte clandestino é um dos grandes responsáveis por esses números. Os motivos são evidentes: os perigos que cercam esses transportes são inúmeros, a começar por quem dirige veículos não autorizados pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, sejam ônibus ou caminhões.

A Abrati lembra que na extensa lista de motivos está a não verificação de antecedentes criminais dos motoristas de ônibus clandestinos; a falta de treinamento para dirigir os equipamentos; a inexistência de alojamentos adequados para descanso; além da dispensa de testes toxicológicos periódicos, aferição alcóolica pré jornada, entre outros problemas.

Letícia Pineschi cita, pelo lado do transporte regular, a importância dos investimentos para preservar vidas, como o programa de Medicina do Sono. Embora caro do ponto de vista financeiro, ele se justifica plenamente pelo lado humano: Leticia ressalta que ele reduz drasticamente os índices de acidentes por sonolência.

Além disso, a Abrati desenvolve outros projetos, como o apoio às entidades que cuidam de animais nas margens das rodovias e incêndios.

Os programas de apoio financeiro e psicológico que algumas associadas da Abrati implementaram é um dos fatores que mostram que nossa preocupação principal é pela segurança e conforto dos passageiros e de nossos colaboradores”, diz Letícia.

A Associação também se preocupa em ajudar os motoristas a planejarem melhor suas vidas, trazendo assim tranquilidade para que possam trabalhar. “O ambiente corporativo de valorização do condutor também é importante e é sempre levado em conta pelas empresas associadas”, conclui Leticia Pineschi.

Veja a série de ações contínuas desenvolvidas pela Abrati, que buscam um trânsito melhor e mais humano:


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta