Diário no Sul

São Borja (RS) discute situação preocupante do transporte coletivo

Foto: Ricardo Carvalho / Ônibus Brasil

Número de usuários não é suficiente para bancar custos da manutenção do serviço; empresa pede tarifa a R$ 5,09 e trabalhadores reclamam de salários parcelados

ALEXANDRE PELEGI

Dialogar sobre a preocupante situação do transporte coletivo na cidade.

Este foi o mote de uma reunião convocada pelo prefeito de São Borja, interior do Rio Grande do Sul, na última quinta-feira, 11 de novembro de 2021.

O Prefeito Eduardo Bonotto e o vice-prefeito, Roque Feltrin se reuniram com vereadores, representantes da Agesb (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de São Borja) e da empresa Integração Mobilidade Urbana, responsável pelo transporte público no município.

Participaram também da reunião os quinze vereadores de São Borja, além de representantes do Departamento Jurídico e de Trânsito da Prefeitura Municipal.

O encontro foi aberto à imprensa local.

O cenário é preocupante, conforme descreveu a prefeitura durante o reunião: o número de usuários não é suficiente para suportar o custo de manutenção do serviço.

Além disso, a reunião debateu também o custo da tarifa, o número de linhas e o aumento significativo dos custos operacionais (combustível, manutenção, entre outros).

Para o prefeito, desde o início da gestão o Município buscou alinhar alternativas para manter o serviço de transporte, “atendendo as reivindicações da comunidade”.

Bonotto afirmou que a Administração Municipal conseguiu manter o custo da tarifa sem aumento há um bom período, além de ter procedido à reorganização das linhas e a troca por veículos com menor custo.

A reunião foi proposta para integrar os membros do executivo, legislativo e responsáveis pela prestação do serviço e fiscalização sobre a situação atual.

Além das demandas, o encontro expôs o pedido de revisão de tarifa encaminhado pela empresa Integração no valor de R$5,09.

Por outro lado, foi apresentado o estudo da planilha de cálculo apresentado pela Agesb no valor tarifário de R$4,40. O valor atual, reajustado em maio de 2020, é de R$ 3,50.

Já o Sindicado dos Trabalhadores Rodoviários de São Borja encaminhou à empresa Integração o descontentamento da categoria com o parcelamento dos salários.

Diante do quadro, a empresa concessionária alertou para um possível colapso devido à situação financeira atual.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Pior:é o apocalipse ético e moral generalizado do universo sem moral,sem transparência e sem legitimidade nenhumissima.

Deixe uma resposta