Incêndio em 52 ônibus na Grande Londrina: Passageiros encontram atrasos nesta terça (16)

Parte da frota destruída era reserva e desativada, mas também havia ônibus operacionais; Perícia verifica nesta manhã as possíveis causas

ADAMO BAZANI

Os passageiros de ônibus de Londrina (PR) encontram atrasos em algumas linhas e horários nesta terça-feira, 16 de novembro de 2021, de acordo com o plantão da empresa TCGL – Transportes Coletivos Grande Londrina ao Diário do Transporte.

Como mostrou a reportagem, entre o fim da tarde e o início da noite desta segunda (15), um incêndio de grandes proporções destruiu 52 ônibus na garagem da empresa.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/11/15/incendio-atinge-onibus-na-garagem-da-tc-grande-londrina/

Parte da frota destruída era reserva e desativada, mas também havia ônibus operacionais.

A orientação para o passageiro é tentar se programar e sair um pouco antes que o habitual para os compromissos.

A companhia de ônibus diz que se esforça para minimizar os impactos aos usuários, mas pede a compreensão dos passageiros já que foram muitos coletivos destruídos.

A TCGL atende a mais de 60% das linhas municipais de Londrina.

O trabalho de perícia ainda na manhã desta terça-feira (16) verifica as possíveis causas.

A empresa de ônibus não descarta incêndio criminoso, o que vai ser apurado pela Polícia Civil com apoio dos Bombeiros.

No incêndio, ninguém se feriu gravemente, mas ao menos um funcionário passou mal por inalar fumaça.

Labaredas e a fumaça preta foram vistas de diversos pontos da cidade.

Várias equipes dos Bombeiros foram deslocadas para a garagem na Vila Casoni/Recreio.

Como é habitual no setor de ônibus urbanos, os coletivos não tinham seguro, uma vez que apólices para este tipo de veículos são muito caras dado os riscos maiores de acidentes, desgastes e vandalismo que um ônibus é submetido em comparação com um carro, por exemplo.

Em nota, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, disse que se solidariza com os proprietários e funcionários da empresa de ônibus.

Peço a compreensão dos usuários, pois é possível que os serviços da TCGL apresentem problemas nos próximos dias, em consequência da perda total de tantos veículos. Aos proprietários e funcionários da Grande Londrina, nossa solidariedade por tão triste ocorrência, desejando que com a benção de Deus sejam felizes no restabelecimento da normalidade da empresa. Expresso ainda a minha gratidão a todos que correram aqui pra socorrer e impedir que virasse uma tragédia ainda maior. Funcionários e ex funcionários, motoristas e ex motoristas, que ajudaram a retirar os ônibus, aos moradores da região, ao Corpo de Bombeiros, a Guarda Municipal, a CMTU e Prefeitura, e a todos aqueles que ajudaram nesse momento tão difícil.

Funcionários, ex-funcionários e até mesmo a comunidade se mobilizaram para tirar o máximo possível de ônibus da garagem.

POSICIONAMENTO DO SETRANSP

Confira o posicionamento do presidente do Setransp, Mauricio Gulin, na íntegra:

Aos senhores

Paulo Sergio Bongiovanni
Empresário

Rodrigo Aparecido de Oliveira
Diretor Geral

Tomei conhecimento do grave incêndio que atingiu a garagem da empresa Transportes Coletivos da Grande Londrina e não podia deixar de transmitir uma palavra de solidariedade. Como empresário de ônibus, assisti em choque às imagens do fogo e vi com muita tristeza a quantidade de veículos destruídos. É um duro golpe a um setor já em grandes dificuldades. Recebam meus sinceros e profundos sentimentos ao que ocorreu.

Sabemos, porém, que é justamente nesses momentos em que tudo parece não fazer sentido que encontramos uma força que nem sabíamos que carregávamos dentro de nós, e é ela que nos fará dar a volta por cima e sair fortalecidos da crise. Tenho certeza de que, quando esse acontecimento ficar para trás, a Transportes Coletivos da Grande Londrina vai triunfar e ser ainda maior.

Também acredito que nesses momentos devemos nos unir, nos ajudar, a fim de que a superação ocorra o quanto antes. Por isso, como presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba (Setransp), coloco a entidade à disposição para o que for necessário. Contem com o transporte coletivo de Curitiba nessa jornada rumo à redenção.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Isso hj virou moda, ao invés de incendiar um, incendeiam a frota,,,ou seja em coletivo,,,,Isso é sem dúvida sabotagem,,,de vagabs, nóias que não tem o que fazer , ou talvez, até de ex funcionário demitido.

Deixe uma resposta