Câmara do Rio de Janeiro aprova projeto de Paes de subsídios ao sistema de ônibus

Na primeira etapa, subvenção será apenas para BRT

ADAMO BAZANI

Os vereadores do Rio de Janeiro aprovaram nesta terça-feira, 16 de novembro de 2021, projeto da gestão do prefeito Eduardo Paes que institui o subsídio público para complementar o custeio do sistema municipal de ônibus.

A situação dos transportes da cidade é considerada caótica do ponto de vista financeiro.

Como tem mostrado o Diário do Transporte, diversas empresas de ônibus pediram recuperação judicial ou mesmo entraram em falência.

O sistema de ônibus rápidos em corredores está sob intervenção da prefeitura desde março de 2021 e a o poder público planeja conceder os serviços por meio de uma licitação.

A bilhetagem eletrônica também está sendo licitado.

Com a aprovação na Câmara, o projeto deve agora ser sancionado pelo prefeito Paes.

Numa primeira etapa, apenas o sistema de BRT vai ser subvencionado para depois ser expandido para toda a rede.

O projeto prevê ainda que os serviços sejam custeados por receitas extra-tarifárias e extra-subsídios públicos, como com marketing, propaganda e exploração comercial de espaços em terminais.

Outro ponto aprovado pelos vereadores é que os créditos não usados pelos passageiros não poderão mais ser transferidos às empresas de ônibus, mas irão para a prefeitura que destinará os recursos para subsidiar os serviços.

A prefeitura deve pagar as empresas, inicialmente no BRT, não mais por passageiro transportado, mas por serviço prestado, sistema conhecido como “pagamento por quilômetro rodado” , muito embora a quilometragem seja apenas um item na cesta de remuneração.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Sergio Álvares Cabral disse:

    Tem que irrigar a caixinha da fetransport senão não tem jabá.

  2. rubenndeanrj@gmail.com disse:

    Reclamam não, pediram para ele (Eduardo Pães) voltar, ficam felizes… pois foi o mesmo que iniciou todos esses problemas, que estamos vivenciando hoje! Grande legado deixado pelo mesmo para todos os Cariocas… não existe mais empresas de ônibus/urbanos no Rio/Capital, nem linhas… sumiram tudo… Hoje, só visualizamos os Grupos que fatiaram o Estado do Rio de Janeiro. (Grupo Jacob Barata & Família e outros) os mesmos impedem fazem de tudo para não haver licitação no Estado do Rio de Janeiro. Porque a Globo e a Record, não expõe isso para a População Carioca!

  3. Alexandre disse:

    Porque a Globo e a Record são coniventes nesse embrulho criado pelo por políticos locais, a eles só interessa o ganho e Dana se se o trabalhador viaja ou não, o sistema que daria certo seria alimentar a malha ferroviária ou o sistema de trilho com vagões grandes que rodasem tanto na superfície quanto no subsolo, mas está ideia é cara e inviável pra eles que perderam a mamata, é necessário um apoio político forte e coeso, com uma unificação federal o mesmo pensamento deve ser seguido nas comunidades , não cabe mais nos dias atuais comunicados sem saneamento básico e ligações elétricas de baixa qualidade todos já viram esse filme é necessário a contrução de prédios de oito a dez andares e assim eliminaria vielas e becos onde pessoas não seriam confundidas nem perceguidas em vielas, mas isto também não interessa aos políticos atuais então esse sistema irá continuar até que aconteça algo que profundamente afete toda a cadeia de impresarios locais porque assim seus bolsos sofreriam um colapso financeiro e entenderiam que todos ganham com novas políticas de urbanas, é necessário um novo plano diretor para a polícia urbana em nosso país. Não cabe mais essa diretriz arcaica e criminosa que vemos todos os dias com a hipocrisia de jornalistas comentando sorridentes sobre o carnaval e depois na reportagem seguinte pedindo para todos usarem máscara e se vacinar cobrando das autoridades uma atitude coerente com os solitacoes calamitosa existentes., Depois sorridentes segura a caneca de café e sorrindo da a hora local e anuncia os gos do time da emissora.

Deixe uma resposta