Paralisação de ônibus atinge Teresina nesta quinta (21)

Movimento é temporário e após as 10h o atendimento deve ser normalizado

WILLIAN MOREIRA

Motoristas e cobradores de ônibus do transporte coletivo de Teresina (PI) iniciaram uma paralisação temporária na manhã desta quinta-feira, 21 de outubro de 2021.

De acordo com o Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte) o movimento deve se manter por duas horas, com o atendimento sendo normalizado logo após as 10h.

A categoria por meio do sindicato reivindica um aumento de salário para os rodoviários e uma jornada de trabalho melhor definida.

O pagamento de salários em atraso também é uma das pautas.

Ao Diário do Transporte, a advogada do SETUT, Naiara Moraes, disse que a dificuldade é generalizada e pede compreensão aos trabalhadores

“O sistema de transporte coletivo de Teresina vem passando por diversas dificuldades não só em relação a pandemia, mas na necessidade de aportes em relação ao poder público municipal para a sustentabilidade desse sistema, garantia de qualidade e também de todas as gratuidades que envolvem essa prestação de serviço. Os trabalhadores são parte importante e nesse momento onde o acordo foi firmado entre o ente municipal e os empresários, há um compromisso de diante do pagamento da entrada no valor de R$ 10,5 milhões que foi acordada com o ente municipal em relação aos valores de 2020, as folhas de pagamento serão atualizadas nos três meses, outubro, novembro e dezembro, na medida desses pagamentos e que em relação aos valores de 2020, os trabalhadores uma parcela assegurada no valor de R$ 720 mil que também será repassada.  A data base dos trabalhadores do transporte coletivo é apenas em janeiro, então é preciso que se aguarde todo esse período, de resgate de restabilização do transporte coletivo para que no momento oportuno seja possível dialogar sobre mais benefícios aos trabalhadores. A situação é difícil não só para trabalhadores, mas para empresários, mas também para toda a população e todo o usuário que precisa dentro desse momento também ser acolhido em termos de compreensão dos trabalhadores, pois os empresários efetivamente já estão à disposição da população porque dera cumprimento a ordem de serviço da STrans, estão ampliando 40% da frota e estão buscando dar cumprimento as questões trabalhistas, mas claro, dentro do prazo, dentro dos procedimentos que sejam possíveis dentro desse período de resgate.”

Em seguida, em nota, o sindicato patronal disse que cumpriu sua parte no acordo

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que referente às questões trabalhistas com os motoristas e cobradores de ônibus de Teresina, as empresas já cumpriram o o pagamento da folha da categoria dentro do prazo de 72 horas. A frota da ordem de serviço acordada com o ente municipal tem sido cumprida e foi toda colocada à disposição dos passageiros do transporte coletivo de Teresina.

A entidade reforça que não compactua e nem tem participação na paralisação dos trabalhadores. Para o Setut o Sindicato dos trabalhadores tem utilizado a não assinatura da Convenção Coletiva como pretexto e motivação para a promoção de paralisações. Importante ressaltar que a data base de assinatura de uma eventual convenção coletiva está prevista somente para janeiro de 2022.

O Setut tem cumprido o seu papel com a sociedade e reforçado a prestação de serviços com qualidade, eficiência e agilidade no atendimento aos passageiros da cidade.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta