Prefeitura do Rio prorroga provisoriamente tempo de apresentação de taxis mais antigos em operação na cidade para até o fim de 2022

Objetivo é ajudar a categoria afetada pela pandemia e aumentar a vida útil da frota

WILLIAN MOREIRA

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro por meio de dois decretos (nº 49.582 e 48.584) autorizou a prorrogação provisória dos prazos de apresentação de veículos utilizados como taxi para a vistoria, válido para os carros que possuem uma idade mais avançada.

Segundo as publicações, fica autorizado “provisoriamente, que os veículos utilizados no Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro, nos casos de processos de permuta, troca de titularidade ou quando se tratar de processos de abertura de termo, possam apresentar veículos com ano de fabricação em 2013, 2014 e 2015 até o dia 31/12/2022″ e também se aplica a regra aos “autorizatários de veículos utilizados no Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro a prorrogarem a apresentação dos veículos com ano de fabricação em 2010 e 2011 até o dia 31/12/2022.”

A administração municipal espera com a medida ajudar a categoria que foi afetada durante a pandemia do coronavírus com o aumento do preço dos insumos e principalmente com a redução da demanda, ao mesmo tempo que disputa clientes com o transporte por aplicativo.

Diante do cenário atual, os dois decretos acabam por aumentar a idade máxima permitida de veículos destinados ao uso como táxis.

Para ambos os casos, o motorista deve apresentar o veículo na Estrada do Guerenguê, nº 1.630, no Bairro da Taquara, para que seja feita a verificação do estado de manutenção e conservação do taxi, no período entre 2 de janeiro e 30 de junho de 2022.

A partir de 1º de janeiro de 2023 a regra será alterada, devendo cada condutor estar com seu veículo em conformidade das características definidas s no art. 16, inciso III, do Decreto Rio nº 48.072, de 22 de outubro de 2020.

 

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta