Trabalhadores do transporte coletivo de Teresina (PI) aprovam greve para a próxima segunda (18)

Empresários afirmam que estão à disposição para negociações. Foto: Marcello Pereira/Ônibus Brasil.

Categoria reivindica melhorias nas condições de trabalho, manutenção do salário atual, entre outras pautas

WILLIAN MOREIRA

Por meio do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários), os rodoviários do transporte coletivo de Teresina,  no estado do Piauí, anunciaram uma greve no setor a partir da próxima segunda-feira, 18 de outubro de 2021.

A decisão de paralisar o transporte aconteceu depois de uma reunião com o SETUT (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) na última terça (12), na qual a categoria buscou esclarecimentos sobre as suas reivindicações.

Como mostrou o Diário do Transporte, nessa segunda-feira, 11 de outubro de 2021, motoristas e cobradores se manifestaram em frente ao Ministério Público do Trabalho. Eles alegaram que ainda não haviam sido procurados pelas empresas para conversar a respeito de como seria feita a ampliação da frota.

Relembre:

Teresina: rodoviários querem discutir situação da categoria diante de acordo entre empresas e prefeitura que garantiu aumento de 40% da frota em operação

A principal reivindicação dos rodoviários de Teresina é relativa à assinatura do acordo de convenção coletiva da categoria. Por este acordo, os trabalhadores do setor rodoviário passam a ter o pagamento pelo piso salarial, em lugar do pagamento por diárias, como ocorre desde o início da pandemia.

O SETUT, por meio de nota, disse que será realizado o pagamento da última parcela do Acordo 2020 em um valor aproximado de R$ 720 mil e que será preservado o pagamento do piso salarial da categoria.

Leia abaixo a nota na íntegra:

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que se reuniu na última terça-feira (12) com o Sindicato dos Trabalhadores (Sintetro), buscando esclarecer sobre as negociações firmadas com o Município de Teresina.

Tratadas as dificuldades da categoria dos motoristas e cobradores de ônibus, esclareceu-se que: tão logo seja realizado o pagamento pelo Ente Municipal dos meses de outubro, novembro e dezembro, há o compromisso de atualização das folhas que atrasadas referentes à 2021;

Além disso, será realizado o pagamento da última parcela do Acordo 2020 feito entre Sintetro e Prefeitura, no valor aproximado de R$ 720 mil, como também, será preservado o pagamento do piso salarial da categoria mantido ao longo da pandemia.

A entidade reitera que, infelizmente no momento, não há condições financeiras de se discutir quaisquer pontos econômicos e financeiros no sistema, tendo em vista que a demanda de passageiros transportados ainda se encontra num patamar inferior aos 25% do que era, antes da pandemia.

Ou seja, o sistema ainda se encontra muito distante do que seja necessário para a sua manutenção.

Os empresários estão à disposição e abertos para o diálogo com os trabalhadores, afim de solucionar as dificuldades do setor. Destacando que o objetivo principal de ambos os lados, deve ser o atendimento das demandas dos passageiros, sempre com segurança, eficiência e agilidade.”

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta