Metrô de São Paulo e Instituto Cicloativo do Brasil arrecadam bicicletas usadas

Projeto Duas Rodas Para o Natal estará num espaço ao lado da estação Chácara Klabin, da Linha 2-Verde, até 11 de dezembro. Foto: Divulgação.

Objetivo é que as doações sejam presentes de Natal para crianças carentes

JESSICA MARQUES

O Metrô de São Paulo e o Instituto Cicloativo do Brasil estão arrecadando bicicletas usadas. O objetivo é que as doações sejam presentes de Natal para crianças carentes.

Desde sábado, 09 de outubro de 2021, voluntários do Instituto Cicloativo do Brasil – ICB ficam de plantão, das 10h às 16 horas, em um espaço ao lado da estação Chácara Klabin, da Linha 2-Verde do Metrô, na Rua Vergueiro, próximo ao número 3.800, para receber doações de bicicletas usadas, em boas condições de uso, para serem distribuídas no Natal para crianças e adolescentes de comunidades carentes.

A doação das bicicletas poderá ser feita sempre aos sábados, das 10h às 16 horas, até o próximo dia 11 de dezembro.

A expectativa do Cicloativo do Brasil, entidade fundada em agosto de 2014, é que este ano sejam arrecadadas cerca de 250 unidades.

Segundo a companhia, esta será a nona edição do projeto “Duas Rodas para o Natal”. Antes de serem doadas, as bikes passam por revisões e todas as manutenções necessárias são realizadas pelos voluntários “mãos na graxa”.

“Apesar de oficializarmos o Instituto em 2014, demos início a este projeto dois anos antes, após um triste episódio ocorrido na baixada santista, quando um grupo de amigos que conduzíamos foi roubado. Então criamos o ‘Duas Rodas para o Natal’ e em oito edições já realizadas chegamos a 1.607 bicicletas doadas”, disse a diretora executiva e coordenadora do projeto, Maria Lívia de Queiroz Venezi.

Em 2014, o projeto foi realizado na estação Vila Mariana, da Linha 1-Azul. “O resultado desta união foi excelente. Naquela ocasião, foram arrecadadas 80 bicicletas que deixaram o Natal de muitas crianças mais alegre”, lembra Maria Livia.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta