Ônibus operam normalmente em Natal nesta segunda (11) após ameaça de greve

Foto: Flávio Souza / Ônibus Brasil

Na quinta-feira (07) rodoviários fizeram protestos na capital e avisaram que categoria poderia parar a partir de hoje

ALEXANDRE PELEGI

O sistema de transporte coletivo por ônibus de Natal opera sem problemas nesta segunda-feira, 11 de outubro de 2021.

Os rodoviários da capital do Rio Grande do Norte haviam prometido iniciar uma greve hoje, o que não se verificou de acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana da capital (STTU).

Como mostrou o Diário do Transporte, motoristas e cobradores realizaram paralisação seguida de um protesto em frente à sede do sindicato da categoria nessa quinta-feira (07). Ônibus foram estacionados em vias junto à entidade sindical, afetando o trânsito. Motoristas e cobradores reivindicam a negociação da data-base e um reajuste salarial com base na inflação acumulada (IPCA) para os últimos 12 meses, de 9,68%.

Outra reivindicação é a recomposição do vale-alimentação, que caiu R$ 315 para R$ 180 em decorrência da redução das linhas em circulação durante a pandemia da Covid-19.

Segundo os trabalhadores, são temas que os empresários não querem debater.

Eles ameaçaram paralisar transporte por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira.

O indicativo de greve foi aprovado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro) em assembleia geral, após fracasso nas negociações recentes com as empresas de ônibus.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) lançou nota após os protestos de quinta-feira afirmando estar à disposição para o diálogo.

Leia a manifestação:

“O Seturn informa que sempre esteve à disposição para o diálogo com o Sintro e qualquer outra autoridade, mas que a crise dos transportes públicos extrapola a sua capacidade de resolução sendo necessário um diálogo intersetorial para as soluções dos problemas de mobilidade urbana em nossa capital”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta