Ratrans é classificada em licitação do transporte em Balsas (MA) com tarifa a R$ 4,40

Empresa opera o transporte público de Imperatriz (MA)

Cidade do interior do Maranhão é a terceira maior economia do estado, mas não dispõe atualmente de serviço de transporte coletivo por ônibus entre os bairros

ALEXANDRE PELEGI

A Comissão Permanente de Licitação – CPL de Balsas, interior do Maranhão, divulgou no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 06 de outubro de 2021, o resultado de julgamento da Concorrência Pública voltada à prestação dos serviços do Transporte Coletivo na cidade.

De acordo com a publicação, a única empresa classificada no torneio foi a Rio Anil Transportes e Logística Ltda – Ratrans, cuja proposta para outorga da concessão resultou na taxa de 1,71% sobre o faturamento bruto do valor total da concessão.

A proposta resultou na tarifa a ser cobrada por passageiro com valor de R$ 4,40.

A Ratrans, empresa do Maranhão, opera o transporte público da capital São Luís e da cidade de Imperatriz.


Como mostrou o Diário do Transporte, o Aviso da Licitação foi publicado em 13 de agosto de 2021, com a concorrência marcada para 04 de outubro de 2021. Para o julgamento das propostas foi definida a combinação dos critérios de melhor oferta pela outorga da concessão, menor tarifa e melhor técnica.

Balsas, cidade do interior do Maranhão distante 750 km da capital São Luís, é a terceira maior economia do estado. Apesar disso, o município não dispõe atualmente de nenhum serviço de transporte coletivo por ônibus entre os bairros.

Em 2018 a cidade realizou uma audiência pública para debater a concessão do transporte.

Com um grande crescimento demográfico, a população saltou de 25 mil habitantes em 1984 para quase 100 mil em 2016, o que passou a pressionar por soluções voltadas à mobilidade urbana.

Desde então, a prefeitura não conseguiu lançar um edital de licitação dos serviços.

Na Justificativa publicada hoje, ato necessário para se iniciar o processo licitatório, a prefeitura informa que a área de atendimento dos serviços de transporte será definida através de um itinerário, nos dois sentidos (ida e volta) com 32 km na rota de ida e 33 km na rota de volta, totalizando 65 km.

A prefeitura afirma que essa área seguirá o detalhamento da linha Grande Circular e rotas, disposta no Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica do Sistema de Transporte Coletivo Municipal de Passageiros por Ônibus do Município.

O prazo da concessão será de 20 anos, prorrogáveis por igual período.

O grande desafio do sistema a ser implantado será estimular o cidadão a usar o ônibus. Com a predominância da motocicleta, preferida como principal meio de locomoção por quase 40% dos habitantes, outros problemas a serem resolvidos são a má qualidade da pavimentação e a ausência de calçadas.

O problema das motos, inclusive, pode-se dimensionar pelo número de acidentes de trânsito: 80% têm este veículo envolvidos, sendo que metade dos motociclistas não tem habilitação.

Dados do Detran-MA apontam que a motocicleta representa 63% da frota, em parte como solução encontrada pela população diante da falta de transporte coletivo na cidade.

 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta