Campinas (SP) retoma visitas monitoradas da Minicidade da Emdec

Circuito da Mobilidade é voltado a crianças de 5 a 11 anos. Foto: Divulgação / Emdec.

A partir desta segunda (05), visita do público externo será liberada

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Campinas, no interior de São Paulo, informou que vai retomar as visitas monitoradas da Minicidade da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas).

A visita do público externo à Minicidade de Trânsito começa nesta segunda-feira, 05 de outubro de 2021.

Segundo a Prefeitura, a decisão foi tomada dentro da Semana Municipal do Trânsito de 2021, por meio da Setransp (Secretaria de Transportes) e da Emdec.

Desde sexta-feira, 1º de outubro de 2021, já é possível fazer agendamentos para visitas autoguiadas. Nesta data, a Minicidade foi aberta para os filhos de colaboradores da Emdec.

O espaço simula a circulação em ambiente urbano; e é voltado para crianças de 5 a 11 anos (anos finais da Educação Infantil e Ensino Fundamental I), acompanhadas com a família.

“Com o retorno gradual das aulas presenciais e indicadores mais positivos do controle da pandemia do coronavírus (Covid-19), temos uma situação mais favorável para a reabertura do espaço, com toda a segurança sanitária necessária. A utilização da Minicidade de Trânsito é uma importante ferramenta para a construção de uma mobilidade urbana mais sustentável e eficiente, que respeite os cidadãos em seus deslocamentos”, disse o secretário de Transportes, Vinicius Riverete.

A visitação à Minicidade promove reflexões sobre os atuais modelos de trânsito e transporte, estimulando a construção de cidades mais humanas. O espaço, com atividades práticas e lúdicas, complementa os programas de educação de trânsito desenvolvidos pela Emdec.

“Nós temos uma importante missão, que é a defesa da vida. E a educação de trânsito é fundamental neste processo. É importante que as crianças tenham a oportunidade de vivenciar as boas práticas durante a circulação. Assim, serão multiplicadores das boas ações e cidadãos mais conscientes e responsáveis no trânsito, além de valorizarem o transporte coletivo e o modo cicloviário”, afirmou o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva.

AGENDAMENTO

Confira abaixo as orientações da Emdec para agendamento das visitas:

O agendamento da visita à Minicidade da Emdec pode ver feito pelo site, no endereço eletrônico www.emdec.com.br, na seção “Educação”, em “Visita Educativa”. Também é possível realizar o agendamento pelo aplicativo da Emdec, disponível para download na App Store (iOS) e no Google Play (Android). No menu do app, clique no ícone “Visita Educativa”. 

O espaço estará aberto as terças e sextas-feiras; das 8h às 10h e das 16h às 18h. A visita autoguiada à Minicidade da Emdec deve ser agendada com antecedência mínima de 48 horas; e segue todos os protocolos de segurança para o combate à transmissão da Covid-19. 

Durante a visita, os pais ou responsáveis realizam o percurso com a criança, utilizando um mapa do circuito. Também ocorre a reprodução de áudios, gravados por Agentes da Mobilidade Urbana, com conteúdos educativos relacionados a cada espaço. O percurso leva em torno de 20 minutos para ser concluído. 

A Minicidade fica dentro da sede da Emdec, na Vila Industrial (Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028). Com área total de 284 metros quadrados, ela simula, em escala reduzida, uma rua, ciclofaixa, calçadas, travessias de pedestres e abrigo de ônibus adaptado. O circuito conta com sinalização viária e cicloviária horizontal (solo) e vertical (placas), quatro focos semafóricos e vagas exclusivas. A iluminação é em LED; e foram implantadas medidas de acessibilidade. 

A Minicidade tem um roteiro de visita autoguiada, que conta com áudios de orientação gravados por Agentes da Mobilidade Urbana; e experiência desenvolvida pela equipe de Educação da Emdec, incluindo a atuação dos pequenos visitantes como pedestres, ciclistas e passageiros de um ônibus imaginário. 

Na Minicidade, o público vivencia situações reais de mobilidade urbana. As crianças são estimuladas a adotar comportamentos seguros nos diferentes modos de deslocamento, como pedestres, ciclistas e usuários do transporte público. Como forma de estimular o uso do transporte coletivo, a criança não exerce os papeis de futuro motorista ou motociclista. 

Entre os conceitos abordados durante a experiência estão a segurança viária; a democratização do espaço público, com acessibilidade e inclusão; a preservação do meio ambiente; e a priorização dos meios de transporte não motorizados, coletivos e sustentáveis. 

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta