TCE-PR inicia auditoria nas contas da Urbs, gerenciadora dos transportes de Curitiba

Ônibus municipal em Curitiba

Foco é no desempenho dos últimos gestores e nos subsídios às empresas de ônibus para compensar a redução do número de passageiros durante a pandemia da covid-19

ADAMO BAZANI

O TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) informou nesta quarta-feira, 29 de setembro de 2021, que iniciou uma auditoria para avaliar a situação econômico-financeira da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), que gerencia os transportes na capital paranaense, sendo responsável pela fiscalização da atuação das companhias de transportes coletivos.

O foco principal é no desempenho dos últimos gestores e os repasses feitos pela Urbs às empresas que operam o sistema de ônibus de Curitiba, a título de subsídios, para compensar a redução do número de passageiros durante a pandemia da covid-19.

A CAUD (Coordenadoria de Auditorias) do TCE-PR, em outro trabalho, analisa a legitimidade dos repasses financeiros efetuados pelo Município de Curitiba à Urbs.

Segundo TCE, apenas neste ano de 2021, até setembro, a prefeitura destinou R$ 31,76 milhões (R$ 31.761.366,45) à empresa de gerenciamento.

Ainda de acordo com a corte de contas, o controle interno da própria gerenciadora apontou queda de faturamento da Urbs agravado pela pandemia da covid-19.

Para o TCE, isso ocorreu de duas formas: pela redução do número de passageiros nos ônibus do sistema de transporte coletivo e a diminuição de passageiros na Rodoviária de Curitiba – também administrada pela empresa pública. Essa última situação levou ao fechamento de lojas ou à redução do valor da permissão de uso dessas áreas.

Em nota, o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Cláudio Castro, disse que será avaliado se houve gestão temerária da Urbs.

“A companhia é uma referência no planejamento urbano de Curitiba desde a década de 1970 e tem um papel fundamental na gestão do transporte, mas acabou também sendo prejudicada pela pandemia. Precisamos identificar, com a auditoria, como foi o desempenho de seus gestores neste período, se houve ou não gestão temerária, porque a Urbs é fundamental no processo de gestão da administração municipal”, explicou.

A auditoria do TCE-PR foi iniciada a partir da análise da Prestação de Contas Anual (PCA) de 2020 da URBS (Processo nº 256616/21). A CAUD já havia incluído a Urbs no Plano Anual de Fiscalização (PAF) de 2021 do Tribunal. O processo dessa prestação de contas foi sobrestado até a conclusão da auditoria.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta