Extensão ferroviária de Guapirimim (RJ) da SuperVia volta a funcionar em 18 de outubro

Agentes da Agetransp realizam fiscalização e apuram as causas que provocaram a interrupção da operação ferroviária na região. Foto: Divulgação / Agetransp.

Companhia completou as obras de infraestrutura necessárias para tornar segura a passagem dos trens pela região

WILLIAN MOREIRA

A população da região de Guapimirim, no Rio de Janeiro, atualmente está sem o atendimento do transporte ferroviário operado pela Supervia. Contudo, segundo a concessionária, a circulação dos trens será retomada em 18 de outubro de 2021.

A volta dos trens operando entre as estações de Saracuruna e Guapimirim será possível devido à conclusão das obras de infraestrutura executadas no trecho nos últimos meses para aumentar a segurança do transporte.

Com investimentos de RS 1,5 milhão pela SuperVia, foram executados trabalhos de melhoras na via permanente, a reconstrução de um canal entre as estações Parada Modelo e Parada Ideal e o reparo de duas pontes, uma em Magé e a outra em Saracuruna.

“A segurança operacional é inegociável para a SuperVia e, por isso, optamos por interromper parcialmente a circulação neste trecho após os graves danos provocados pelas chuvas. Tratamos com prioridade a recuperação dessa extensão por entender o quanto os moradores dessa região dependem do serviço dos trens. A construção de um novo canal ( bueiro ferroviário) e a reforma de duas pontes reafirmam a preocupação da concessionária em oferecer o melhor aos seus clientes”, afirmou o diretor de Manutenção da SuperVia, Roberto Fischer, em nota divulgada para a imprensa.

A interrupção aconteceu devido a fortes chuvas na região. Por isso, houveram danos nas duas pontes recuperadas e em outros pontos da extensão operacional, demandando a suspensão do atendimento de forma parcial. Por isso, atualmente os trens circulam entre Saracuruna e Citrolândia.

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) apura as causas que provocaram a interrupção ferroviária no trecho.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta