Decreto de Doria muda nome de futura estação da Linha 6-Laranja para FAAP-Pacaembu

Escavações da Linha começaram em agosto deste ano

Nome faz jus ao apelido de “Linha das Universidades”, mas contraria política de naming rights da Companhia do Metrô

ALEXANDRE PELEGI

Uma Linha de Metrô que nasceu com o título de “Linha das Universidades” justifica a identificação de suas estações com o nome das entidades educacionais ao longo de seu trajeto, certo?

Se faz sentido por um lado, por outro entra em choque com a política de naming rights que até outro dia vinha sendo divulgada pela Companhia do Metrô de SP como uma das maneiras de aumentar as receitas da estatal. O uso de marcas comerciais

A FAAP Pacaembu, apesar de tradicional, é uma entidade privada. Da mesma forma, aliás, que a Universidade Mackenzie, situada ao lado da estação Higienópolis da Linha 4- Amarela.

A Linha 6 recebeu este nome por passar próximo a diversas faculdades na capital, como UNIP, FMU, FGV, PUC-SP, Universidade Presbiteriana Mackenzie e… FAAP.

Resta saber se as outras estações da futura Linha 6-Laranja ganharão também o nome das entidades de ensino próximas.

A Linha 6-Laranja vai ligar a Brasilândia, na Zona Norte da capital, à estação São Joaquim, no Centro, e contará com 15 estações divididas em 15 km de extensão, atendendo cerca de 630 mil passageiros por dia.
O Governo estima que a obra reduzirá para 23 minutos um trajeto que é feito de ônibus, hoje, em cerca de uma hora e meia.
A obra conta com investimento de 15 bilhões de reais, e o governo Doria acredita que vai gerar mais de 9 mil empregos já em 2022, sendo a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta