Após reparos, CPTM volta a operar veículo de manutenção de vias

Empresa fechou contrato de R$ 4,1 milhões para reparar os cinco conjuntos. Foto: Diário do Transporte.

Trem especial reduz em até 80% o tempo de execução deste trabalho

WILLIAN MOREIRA

Em evento no pátio de trens na região da Luz realizado nessa quinta-feira, 23 de setembro de 2021, o secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy e o presidente da CPTM, Pedro Moro, participaram da entrega de um trem de manutenção de via para a empresa.

O veículo ferroviário é responsável pelo trabalho de socaria de via permanente, ajeitando a brita e trilhos de forma muito eficiente, diminuindo em até 80% o tempo que se leva para concluir a tarefa.

O trem foi adquirido pela empresa no ano de 2009 e após vários anos em serviço, deixou de operar para seguir até Minas Gerais onde passou por manutenção e agora retorna com a capacidade total de operação, sem risco de apresentar algum problema que a deixe por muito tempo parada aguardando reparos.

“A via permanente de uma ferrovia é composta por trilhos, dormentes e lastro. É um sistema que normalmente se deforma e retorna a sua posição inicial, mas com a movimentação na via pode haver uma deterioração da geometria, causando uma perda de estabilidade. Para evitar o comprometimento da segurança de tráfego essa máquina “aperta” a via, fazendo o alinhamento e nivelamento para restabelecer a geometria ideal”, explica o diretor de Operação e Manutenção da CPTM, Luiz Argenton, em nota divulgada para a imprensa.

Quando o maquinário de socaria apresentou problemas, a CPTM cotou valores de manutenção e chegou ao levantamento que o reparo de cada um dos cinco conjuntos da banca de socaria sairia por volta de R$ 20 milhões, mas essa empresa de Minas acabou por fechar um contrato de R$ 4,1 milhões para reparar os cinco conjuntos.

Além da manutenção do trem de manutenção, funcionários da companhia passaram por treinamento para trabalhar com o veículo ferroviário.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta