Prefeitura de SP lança licitação do aplicativo SPTáxi

Certame será definido pelo critério de menor percentual sobre o valor das corridas

ALEXANDRE PELEGI

O aplicativo SPTáxi, lançado em abril de 2018 pelo então prefeito João Doria, está prestes a mudar de mãos.

Fora do ar desde 16 de julho de 2021, após a Prefeitura de São Paulo não renovar o contrato com a Alias Tecnologia S.A., empresa que venceu a primeira licitação para gestão da ferramenta, um novo edital foi lançado nesta sexta-feira, 17 de setembro de 2021, em publicação do Diário Oficial do Município.

A empresa contratada prestará os serviços especializados de gerenciamento, operação, evolução e manutenção do aplicativo SPTáxi.

A concorrência será do tipo técnica e preço, no regime de menor percentual sobre o valor das corridas.

A Data e Local de Entrega dos Envelopes está agendada para 03 de novembro de 2021, no auditório da CET, localizado na Rua Barão de Itapetininga, 18, térreo, Centro, São Paulo/SP.

A Abertura dos Envelopes será às 10h30.

O Edital e seus anexos estão disponíveis para download nos sites:

http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br e

https://drive.google.com/drive/folders/19Aa_xxBp4RzW0DntPdqvN2kmyn8J1xPU?usp=sharing.

Como mostrou o Diário do Transporte, a prestação de serviços especializados de gerenciamento, operação, evolução e manutenção do aplicativo será realizada pelo prazo de 60 meses, com custo estimado em R$ 75,27 milhões.

Conforme publicado no Diário Oficial da Cidade em 26 de agosto de 2021, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito, por meio da Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana – SMT/SETRAM, abriu Consulta Pública para “colher subsídios que poderão contribuir na elaboração da versão final do Edital, relativo à concorrência destinada a contratação de empresa para autorização da transferência do programa SPTáxi”. Foi a etapa anteriro ao lançamento do edital.

Desde seu lançamento, o aplicativo tem sido alvo de críticas constantes. Quase no final do contrato de um ano, apenas 20% dos taxistas da capital haviam se cadastrado na plataforma.

A empresa gestora do aplicativo acabou virando alvo do vereador Adilson Amadeu (DEM), que vinha defendendo o cancelamento do contrato e a escolha de uma nova empresa para assumir a plataforma. Representante na Câmara dos taxistas, Amadeu foi um dos que mais estimulou o lançamento do SPTáxi, com o objetivo de combater outras ferramentas como Uber e 99.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta