EMTU e PM apreendem ônibus e vans por transporte clandestino na região do Alto Tietê, na Grande São Paulo

Em um dos casos, ônibus rodoviário de grande porte era usado para transporte em região metropolitana sem autorização

ADAMO BAZANI

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) com apoio do 32º Batalhão da Polícia Militar na Região Metropolitana de São Paulo, realizou na manhã desta terça-feira, 14 de setembro de 2021, uma operação contra o transporte clandestino no Alto Tietê, na Grande São Paulo.

Segundo a gerenciadora, os trabalhos foram realizados na Avenida Manoel Bezerra Lima Filho, esquina com rua Álvaro Pavan, na cidade de Mogi das Cruzes.

Foram quatro apreensões de veículos operando transporte irregular de passageiros entre os municípios de Mogi das Cruzes, Guarulhos e a capital:

– Ônibus não cadastrado na Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) na modalidade fretamento, ligando Mogi das Cruzes (Brás Cubas) a Guarulhos (Bairro dos Pimentas), conforme auto de apreensão 55.610.  O ônibus trazia na pintura a inscrição “Sistema Integrado Logística”.

– Sprinter, não cadastrado na STM na modalidade fretamento, ligando Mogi das Cruzes (Brás Cubas) a São Paulo (São Mateus), conforme auto de apreensão 55.611.

– Micro-ônibus, não cadastrado na STM para transporte de passageiros entre Mogi das Cruzes (Brás Cubas) e Guarulhos (Bairro dos Pimentas), conforme Auto de Apreensão 55.612.  o micro-ônibus tinha pintura bem semelhante ao veículo maior, mas tinha a inscrição “Viação Guarulhos”.

– Renault Master, por transporte não autorizado de passageiros entre Mogi das Cruzes (Centro Cívico) e Itaquaquecetuba (Jd. Roseli), conforme Auto de Apreensão 55.618.

O valor da multa pode chegar a R$ 5.200,00 em caso de reincidência.

Os trabalhos começaram por volta de 05h30 e terminaram logo depois das 10h00.

Por meio de nota, a EMTU explica como é o trabalho dos agentes nestas operações.

Os agentes averiguam carros, vans, micro-ônibus e ônibus que fazem o transporte intermunicipal metropolitano com o objetivo de garantir mais segurança, qualidade e eficiência aos cidadãos que utilizam o sistema de transporte intermunicipal. Os veículos autorizados passam por inspeções periódicas onde são verificados mais de 400 itens, os condutores são treinados periodicamente, atendendo todas as normas do Código de Trânsito Brasileiro e aquelas determinadas pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Os veículos não autorizados não cumprem essas normas e não há qualquer garantia da sua procedência, nem mesmo da habilitação ou legalidade da CNH dos condutores. 

Por fim, as empresas do sistema regular são titulares da concessão, logo precisam cumprir normas contratuais, inclusive em relação ao combate da transmissão do coronavírus, ao passo que os veículos clandestinos operam de forma precária e em concorrência ruinosa já que não cumprem qualquer requisito da legislação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta