Vereador de São Paulo quer autorizar tráfego de carro forte em faixa exclusiva de ônibus

A foto é antiga (2013), mas o problema segue atual. Carro forte prejudica o fluxo de ônibus na faixa?

Delegado Palumbo alega que não faz sentido um veículo que transporta um montante relevante em dinheiro ficar parado no trânsito à mercê dos bandidos

ALEXANDRE PELEGI

Um Projeto de Lei (PL) de autoria do vereador Delegado Palumbo (MDB) quer garantir o direito de permissão de uso das faixas exclusivas de ônibus aos veículos carro forte.

A circulação seria autorizada desde que o veículo estivesse “em efetivo serviço e devidamente regulamentado”.

A permissão valeria por todos os dias da semana, sem restrição de horário.

Para justificar a medida, o vereador cita o crescimento da criminalidade, “que só aumenta no município de São Paulo”.

Diante dessa escalada, o delegado Palumbo afirma que se tornou “extremamente necessário criar medidas para reduzir os riscos diários dos veículos que transportam dinheiro, conhecidos como carro forte”.

Na defesa de sua proposta, o vereador cita o “trânsito caótico” de São Paulo, dizendo não fazer sentido algum um veículo que transporta um montante relevante em dinheiro “ficar parado no trânsito à mercê dos bandidos”.

Ele inclusive compara o perigo de um roubo a carro forte em uma estrada e em área urbana.

Fora do centro urbano, esse tipo de crime causa enormes danos materiais e pessoais, mas quando ele ocorre no centro urbano as consequências são bem maiores, “tendo em vista que não só os vigilantes ficam vulneráveis como também a sociedade como um todo”.

Palumbo ainda defende que a circulação do carro forte nas faixas exclusivas para ônibus e táxis não irá afetar ou aumentar o fluxo nessas faixas. Isso porque, segundo ele, se trata somente de uma “permissão” para o carro forte transitar e não uma “obrigatoriedade”.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Mais essa. Na Paulista há baias para eles, taxis e ambulãncias,,,dificil mesmo será numa M´boi Mirim, Morato, Celso Garcia…

  2. Antonio palacio disse:

    Mais uma ! Ah vereadores, vcs não andam de onibus mesmo né. SP ja e ruim de faixas e exclusivas, BRT e lá vem mais essa.

  3. Edson Profeta disse:

    Sendo assim, deveriam liberar as faixas de ônibus para políticos e seus assessores, já que alguns deles transportam grandes somas em dinheiro vivo em porta-malas

  4. Leo disse:

    Nao tem nem sentido isso, tem que procurar fazer alguma lei decente , para manter bandido preso e nao liberar via para carro forte.

  5. Rodrigo Zika disse:

    Por isso sempre digo, os políticos são o reflexo do povo, eu já desisti do Brasil, o melhor mesmo e juntar a grana que puder e quem não puder sair daqui que garanta uma aposentadoria decente.

  6. Anderson Alessandro Oliveira Araújo disse:

    Melhor então extinguir as faixas de ônibus que, de exclusivas, não tem nada… Vejamos;
    * Ambulâncias, bombeiros e viaturas da polícia – Ok;
    * Veículos oficiais como Defesa Civil e Poder Judiciário – Ok;
    * Veículos oficiais dos membros do governo, como vereadores, secretários, prefeito e outros – questionável, porque também deveriam usar transporte público;
    * Táxis – inadmissível, porque eles não tem trajeto fixo – o bom taxista, num mundo com GPS e apps de localização, não deve ficar dependente de corredores de ônibus;
    * Profissionais de saúde – questionável;
    * Veículos de transporte de valores – desnecessário, basta formentar novos meios e horários para coleta e entrega de dinheiro. Num assalto, quantas pessoas não vão estar em risco de um carro-forte for atacado num corredor de ônibus?

Deixe uma resposta