Prefeito de Teresina dá “ultimato” a empresas de ônibus e quer resposta em 48 horas sobre propostas

Entre as exigências da prefeitura estrão revisão no valor das tarifas; Preito José Pessoa Leal diz que se não houver acordo, 51% dos transportes serão municipalizados

ADAMO BAZANI

O prefeito de Teresina, José Pessoa Leal (Dr. Pessoa), deu um “”ultimato” aos empresários de ônibus da cidade e apresentou sete propostas para as quais quer uma resposta ou contraproposta em 48h por parte das viações.

O anúncio foi feito em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 09 de setembro de 2021, a respeito dos problemas de transportes na cidade.

Segundo o prefeito, diversos pontos dos contratos de prestação de serviços não estariam sendo cumpridos pelas companhias, como horários, percentual de frota e integrações.

Além disso, de acordo com o poder público, para piorar, nos últimos seis anos, a cidade enfrentou mais de 15 greves por problemas trabalhistas com as empresas.

As propostas anunciadas na coletiva são:

– Gratuidade para o transporte de estudantes de escolas públicas municipais, entre outras tarifas sociais

– Ônibus com Wi-Fi e ar-condicionado

– Efetivo funcionamento do sistema de integração

– Revisão no valor das tarifas

– Obediência à vida média dos veículos

– Controle da bilhetagem eletrônica por parte da Prefeitura

– Retorno da circulação da frota prevista na ordem de serviço da Strans

Uma parte destas propostas já é prevista no contrato assinado em 2015.

Caso não haja acordo, o prefeito diz que pretende tomar providências, como municipalizar 51% da rede de transportes, com o poder público assumindo a maior parcela das operações.

O novo sistema poderia começar a ser implantado a partir de segunda-feira, 13 de setembro de 2021.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) em ocasiões anteriores disse que negocia com a prefeitura e informou que é necessário o reequilíbrio econômico do sistema de transportes que foi ainda mais prejudicado com a crise gerada pela pandemia de covid-19.

No dia 24 de agosto de 2021, a Câmara Municipal de Teresina apresentou o relatório de 151 páginas da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que sugeria, entre outros pontos, o rompimento dos contratos atuais e uma nova licitação do sistema.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/08/24/cpi-do-transporte-de-teresina-pede-rescisao-de-contratos-com-empresas-de-onibus-e-nova-licitacao/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta