Caminhoneiros fazem mais protestos e bloqueios em rodovias nesta quinta (09)

Desvios para escapar da Régis Bittencourt

Maior parte dos bloqueios é parcial; Entidades de representações da categoria não reconhecem movimentos por entenderem que são usados por interesse político de Bolsonaro

ADAMO BAZANI

Colaborou Willian Moreira

Grupos de caminhoneiros pararam nesta quinta-feira, 09 de setembro de 2021, em rodovias de diversos estados.

Segundo as polícias rodoviárias, uma parcela significativa dos caminhoneiros que está nestes pontos não quer aderir ao ato, mas dizem que foram obrigado e se sentiram ameaçados.  As principais entidades que representam os caminhoneiros não reconhecem estas manifestações como sendo legítimas da categoria e classificam os protestos como atos políticos incitados e usados pelo presidente Jair Bolsonaro (veja mais abaixo)

A maior parte dos bloqueios é só para caminhões, sendo liberados carros de passeio e ônibus, mas foram montadas interdições totais.

Foi o caso da Rodovia Anhanguera, que segundo a Autoban, apresentou tráfego interditado no km 148, ambos sentidos, Região de Limeira. Alternativa foi a Rodovia dos Bandeirantes. Por volta das 08h45, após negociação com a Polícia Rodoviária Estadual, a via foi parcialmente liberada. A corporação pediu aos caminhoneiros que não impedissem outros caminhões de passar caso estes não desejassem participar do protesto e parar no acostamento ou uma das faixas

A Arteris, concessionária da Régis Bittencourt, diz que o bloqueio foi total no início da manhã na BR-116 / SP, no km 280,1, região de Embu das Artes, sentido São Paulo. O tráfego foi desviado para o acesso à cidade de Embu das Artes.

Segundo a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), que gerencia os ônibus da Grande São Paulo, por causa desta manifestação, linhas do transporte coletivo intermunicipal tiveram de se desviadas por vias dentro do município.

Na Régis Bittencourt, um homem foi preso suspeito de esvaziar pneus e danificar as válvulas dos pneus.

A rodovia foi liberada integralmente por volta de 9h

No Rodoanel foram registrados pontos de concentração em na região de Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, com liberação posterior.

Ainda no Estado de São Paulo, na região de Piracicaba, foi registrado um protesto na rodovia Geraldo de Barros.

A Presidente Dutra nos trechos paulistas e do Rio de Janeiro teve concentrações, mas houve liberação.

No fim da manhã, o Ministério da Infraestrutura informou que às 11h foram registrados pontos de concentração em rodovias federais de 14 estados, c/ interdições apenas na Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Na BR-392/RS (Pelotas), o fluxo votou à normalidade.

Nos estados de Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rondônia, Pará e Roraima o trânsito está liberado, mas ainda há abordagem a veículos de cargas. No vídeo, a BR-153/GO, em Itumbiara, com trânsito liberado.

Novos corredores logísticos e liberados pela @PRFBrasil entre 8h e 11h da manhã: BR-116/BA (Feira de Santana), BR-101/BA, BR-101/SE, BR-101/PE (Igarassu) e BR-392/RS (Pelotas). No vídeo, a BR-116/RS (Vacaria).

Entidades que representam os caminhoneiros criticam estas paralisações, uma vez que, segundo elas, não são legítimas com pautas da categoria, mas se limitam a ser usadas pela pauta em defesa do presidente Jair Bolsonaro e contra instituições como o STF (Supremo Tribunal Federal).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/08/entidades-de-caminhoneiros-criticam-paralisacoes-em-rodovias-e-dizem-que-nao-se-tratam-de-pautas-em-prol-da-categoria-mas-atos-politicos-a-favor-de-bolsonaro/

Por meio de áudio, Bolsonaro pediu a liberação das rodovias

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Não tem nada usado por Bolsonaro, não é somente via Sindicatos que são feitas as paralizações e etc. A luta por mais que não incentivada pelos sindicalistas que só estariam apoiando se fosse algo do interesse deles, é feita pela minoria que também não deve ser ignorada. Precisa ser feito uma negociação visando o fim disso e dos bloqueios. Precisa de diálogo, pois senão, todos saem no prejuízo, os caminhoneiros e a população que depende dos serviços prestados. Querendo ou não, são os caminhoneiros e os profissionais do transporte que mandam nesse país, e o mínimo que eles merecem é respeito e que sejam ouvidos. Do contrário, teremos mais problemas. Minha humilde opinião!

  2. Sebastião Mendonça disse:

    Hoje esse movimento é de interesse de um caminhoneiro, palhaçada dele que aparecer?procura sua turma, o povo já está muito massacrado, chega de vergonha nesse Brasil.

Deixe uma resposta