Apoiadores de Bolsonaro usam ônibus e carretas para furar bloqueio a veículos na Esplanada dos Ministérios

Um dos ônibus usados para furar o bloqueio da Polícia Militar em Brasília ostentava adesivos em apoio a Bolsonaro, pedindo Exército nas ruas a partir do dia 08 de setembro

Local havia sido reservado para manifestantes a pé

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Entre a noite desta segunda-feira (06) e madrugada desta terça-feira, 07 de setembro de 2021, manifestantes apoiadores do presidente Jair Bolsonaro furaram os bloqueios policiais na Esplanada dos Ministérios em Brasília.

Utilizando inclusive veículos de grande porte, como caminhões e ônibus, os manifestantes conseguiram passar.

Logo em seguida, passaram carros e caminhonetes.

O acesso de veículos ao local não era o combinado com os organizadores.

O local estaria disponível para manifestantes a pé.

Em nota divulgada na noite desta segunda-feira, a Secretaria de Segurança Pública do DF afirmou que “manifestantes romperam barreiras de contenção” e que descumpriram as condições pactuadas. “A Polícia Militar do Distrito Federal encontra-se no local para reestabelecer a situação. A Praça dos Três Poderes permanece interditada por gradil e linha de policiais”, diz a nota.

Os ônibus fretados e carretas faziam a linha de frente no avanço em direção a PM enquanto diversos manifestantes pró-Bolsonaro caminhavam ao lado destes veículos, a grande maioria sem máscara contra a covid-19, o que configurou outro descumprimento ao que havia sido combinado.

Os veículos de grande porte ostentavam faixas pedindo o Exército nas ruas, contra o STF (Supremo Tribunal Federal), contra as urnas eletrônicas e em favor de Jair Bolsonaro.

Devido às interdições, a operação do transporte coletivo na região é afetada, com o desvio de várias linhas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta