EAOSA quebrado causa impacto no trânsito no centro de Santo André

Em vez do triângulo de sinalização de segurança, havia um extintor de incêndio na rua logo atrás de um dos ônibus.

Veículo estava sem item básico de sinalização de segurança

ADAMO BAZANI/JESSICA MARQUES

O motorista que passou na tarde deste domingo, 05 de setembro de 2021, pela Avenida XV de Novembro, no centro de Santo André, no ABC Paulista, precisou ter paciência.

Dois ônibus da EAOSA parados bloqueavam a faixa da direita, antes da Rua Campos Salles, dificultando quem precisava fazer a conversão à direita.

Por ser domingo e ainda mais emenda de feriado, o trânsito só era lento por aproximação e muitos motoristas estavam tendo dificuldades para sair da XV de Novembro para acessar a Campos Salles.
Um dos ônibus estava aparentemente com um grande vazamento. Não foi possível saber que tipo de líquido.

O que mais chamou a atenção é que em vez do triângulo de sinalização de segurança, havia um extintor de incêndio na rua logo atrás de um dos ônibus.

Os veículos estavam parados perto de um ponto em frente à Igreja Evangélica Deus é Amor e os outros motoristas de ônibus tinham de desviar também. O local é perto do Terminal Santo André Oeste.

O Diário do Transporte questionou a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), responsável pelo gerenciamento das linhas metropolitanas, sobre o ocorrido, que informou que notificou a EAOSA.

Neste domingo, 05/09, por volta das 17h30, o ônibus de prefixo 825, que operava na linha 403 – Mauá (V. Nova Mauá) São Caetano do Sul (Santo Antônio), teve um vazamento de óleo diesel e interrompeu a circulação quando estava na Avenida Quinze de Novembro, em Santo André. Os passageiros foram transferidos para outro veículo. A empresa EAOSA, responsável pela operação da linha, foi notificada pela EMTU sobre o uso equivocado de equipamento de segurança e a necessidade de orientar corretamente os funcionários a utilizarem o triângulo. A inspeção do veículo vence em 30/09/2021. 

Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), trafegar sem o triângulo é infração gravíssima com multa prevista no valor de R$ 293,47. De acordo com a Resolução número 36/98 do Contran, a distância mínima para sinalização em uma emergência é de 30 metros da parte traseira do veículo. Contudo, caso não haja um triângulo, outro objeto de sinalização deve ser utilizado.

Adamo Bazani e Jessica Marques, jornalistas especializados em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Cassio Rogerio Sabino disse:

    A pergunta é, quanto tempo vai demorar para a ABC assumir logo essas linhas

  2. William Santos disse:

    Queria saber se a Next subcontratou as empresas do Baltazar. Não é possível que vai continuar essa bagunça

  3. A GRANDE PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR, O SITE BEM QUE PODERIA NOS ESCLARECER: POR QUE EXISTE SELO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA NOS PARA-BRISAS DE COLETIVOS DA EMTU se estes da EAOSA, São Camilo, Riacho Grande, Imigrantes, são carros lixos de outras cidades que não servem pra rodar, como este, que a própria chapa identifica, sendo talvez de outro estado, e não da grande SP, e ACEITAM esse selo que de nada vale ????? quem está comprando, ou sendo pago????

    1. Richard disse:

      Propina…

Deixe uma resposta