Diário no Sul

Termina nesta segunda (30) prazo para empresas de ônibus intermunicipais de Porto Alegre quitarem débitos do Vale Refeição dos rodoviários

Foto: Douglas Storgatto / Ônibus Brasil

Região corre risco de greve do transporte coletivo se reunião marcada para hoje não chegar a consenso

ALEXANDRE PELEGI

O Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos, entidade representativa de motoristas e cobradores das linhas intermunicipais da Grande Porto Alegre, aguarda para esta segunda-feira, 30 de agosto de 2021, uma proposta das empresas de ônibus para quitar o débito do vale-alimentação dos trabalhadores.

Em reunião realizada na última terça-feira, 24 de agosto, o sindicato divulgou nota em que comunica que até hoje haveria uma solução para o problema.

“Nota! O Sindicato Metropolitano informa que em Reunião ocorrida na data de hoje 24/08 entre o Sindicato Patronal e o Sindicato dos Trabalhadores para resolver sobre o saldo do vale Alimentação. A Classe Patronal solicitou uma nova Reunião para o dia 30/08, próxima Segunda-feira onde irá apresentar uma forma de liquidação para sanar o saldo devedor que está em atraso”.

Como mostrou o Diário do Transporte, motoristas e demais funcionários do sistema de ônibus que atendem a região metropolitana de Porto Alegre decidiram suspender greve que estava marcada para 09 de agosto de 2021.

Após uma reunião mediada pela Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios, e que reuniu representantes dos funcionários, das empresas de ônibus e do governo do Estado do Rio Grande do Sul, foi negociada uma trégua no movimento.

O pedido de um prazo para colocar benefícios em dia foi feito pelos representantes das empresas, como forma de evitar a greve.

O Sindicato dos trabalhadores alega que não houve evolução na solução do problema, e no caso do Vale Alimentação as empresas não vêm cumprindo o que ficara acordado: a retomada do pagamento do vale alimentação, cortado pela metade desde o ano passado em razão da pandemia.

Os trabalhadores alegam que um acordo com as empresas previa um retorno gradual para o pagamento do vale alimentação, que subiria a 75% do valor em agosto, até alcançar o valor integral em setembro.

No entanto, a entidade que representa os rodoviários afirma que o combinado não está sendo cumprido.

Além disso, o sindicato trabalhista espera o pagamento do terço de férias prometido para julho, além da negociação do dissídio e o fim das demissões.

Caso a reunião de hoje não termine em acordo, os trabalhadores falam desde a greve dos transportes, até a realização de de operação padrão.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta