Prefeitura do Rio reinicia obras do BRT Transbrasil e apresenta projeto de integração com VLT

Anúncio foi feito nesta terça (24) pelo prefeito Eduardo Paes. Foto: Beth Santos / Prefeitura.

Construção do Terminal Intermodal Gentileza, que vai integrar os modais, está prevista para começar em dezembro

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro reiniciou oficialmente as obras do BRT Transbrasil e apresentou o projeto de integração com o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) nesta terça-feira, 24 de agosto de 2021.

Na ocasião, o prefeito Eduardo Paes e o secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes, fizeram o anúncio da retomada das obras do BRT Transbrasil. Ao todo, as intervenções contemplam 26 quilômetros de vias.

Além disso, o prefeito anunciou a expansão do VLT até São Cristóvão, onde será construído o Terminal Intermodal Gentileza.

Segundo a Prefeitura, o Transbrasil e o Terminal Gentileza estarão em funcionamento, com todo o sistema integrado, em dezembro de 2023. Para concluir a obra do BRT Transbrasil, serão investidos R$ 361 milhões, financiados pelo Governo Federal, com gasto final estimado em R$ 1,89 bilhão.

No Terminal Gentileza, os passageiros poderão pegar ônibus alimentadores para diversas regiões da cidade e o VLT para circular no Centro do Rio e chegar à Central do Brasil, Praça XV e Aeroporto Santos Dumont.

O BRT Transbrasil tem demanda estimada em 150 mil pessoas, podendo chegar a 250 mil pessoas transportadas diariamente.

TERMINAL INTERMODAL

O novo terminal será o ponto de chegada do BRT à região central da cidade no antigo terreno do Gasômetro. Nomeado em homenagem ao Profeta Gentileza, o terminal integrará o sistema do BRT Transbrasil, linhas municipais alimentadoras e o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) – que será estendido em cerca de 700 metros a partir da Rodoviária Novo Rio.

De acordo com a Prefeitura do Rio, o início das obras está previsto para dezembro deste ano.

AO TODO, SÃO 18 ESTAÇÕES

Como já mostrado pelo Diário do Transporte, nesta nova fase das obras do BRT, a Prefeitura optou por retomar o projeto inicial com as quatro estações que haviam sido retiradas do escopo. São elas: Guadalupe, Barros Filho, Coelho Neto e Irajá.

No total, serão 18 estações e mais 22 intervenções como viadutos e alargamentos de pistas. A Transbrasil contará ainda com três terminais: Margaridas, Missões e Deodoro. Esta última terá duas plataformas superiores de BRT e aumento da capacidade de vagas para as linhas alimentadoras.

Relembre:

BRT Rio Corredor Transbrasil: Autorizada contagem de prazo para atividades de monitoramento da construção

Nos primeiros meses da obra, o cronograma dará continuidade à montagem de sete estações (Into, Igrejinha, Fiocruz, Parque Vitória, Ramos, Brás de Pina e Parada de Lucas) que estão em estágio avançado, além da fabricação e posterior colocação de cinco passarelas – Into, Igrejinha, Caju (Passarela 3), Fiocruz (Passarela 6) e Ramos (Passarela 11).

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta