Motoristas e cobradores de Guarulhos (SP) podem tomar segunda dose da vacina contra a covid-19 a partir de quinta (12)

Profissionais podem se dirigir a qualquer UBS. Foto: Divulgação / Sidnei Barros.

Detalhes foram divulgados pela Prefeitura nesta terça (10)

JESSICA MARQUES

Os motoristas e cobradores do transporte público municipal e intermunicipal de Guarulhos, na Grande São Paulo, que foram vacinados em maio passado contra a covid-19 podem receber a segunda dose a partir desta quinta-feira (12).

Segundo a Prefeitura, os profissionais podem procurar qualquer uma das 68 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade para completar seu esquema vacinal, mesmo que seu cartão de vacinação esteja com a anotação da UBS Cecap. Da mesma forma devem proceder os aeroportuários com prazo da segunda aplicação a partir da próxima semana.

Além destas categorias, têm aprazamento para receber a segunda aplicação do imunizante contra a covid-19 neste mês de agosto os idosos com 60 anos ou mais e pessoas com deficiência permanente cadastradas no Benefício da Prestação Continuada (BPC), entre outros. Eles devem preferencialmente retornar para completar seu esquema vacinal na UBS onde receberam a primeira dose.

FALTAS

De acordo com levantamento do Departamento de Vigilância em Saúde divulgado pela Prefeitura, atualizado em 05 de agosto, quase 24 mil pessoas ainda não retornaram aos postos de saúde da cidade dentro do prazo preconizado para receber a segunda dose contra a covid-19.

Deste total, 18.462 são idosos na faixa etária de 60 a 69 anos, os quais estão sendo contatados pelas equipes dos serviços de saúde do município para que possam completar seu esquema vacinal.

“A busca ativa é realizada por telefone ou até mesmo em domicílio, na área de abrangência assistida pela estratégia Saúde da Família. Na abordagem efetuada pelos profissionais de saúde é reforçada a importância de se tomar a segunda dose, com sensibilização junto a essas pessoas. De acordo com as equipes de saúde, são várias as razões alegadas para o não comparecimento aos postos, como doença, medo de nova reação, óbito, entre outras”, informou a Prefeitura, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta